Bolsonaro ironiza imprensa e defende indicação de amigo para cargo na Petrobras

Redação Portal IMPRENSA | 11/01/2019 16:00

O presidente Jair Bolsonaro voltou a usar as redes sociais para criticar parte da imprensa. O motivo foram as matérias informando que o capitão-tenente Carlos Nagem, escolhido para assumir a gerência executiva de Inteligência e Segurança Corporativa da Pretrobras, é seu amigo.

Crédito: Reprodução

"Apesar de brilhante currículo, setores da imprensa dizem que é apenas 'amigo de Bolsonaro'", escreveu em sua conta no Twitter. O presidente também postou um resumo do currículo de Nagem, informando que ele é funcionário com 11 anos de carreira na empresa.

Pouco depois, Bolsonaro recorreu à ironia para fazer nova crítica à imprensa. "Peço desculpas à grande parte da imprensa por não estar indicando inimigos para postos em meu governo!", escreveu.   

Desde antes de tomar posse, a relação entre o presidente e a imprensa tem sido motivo de polêmica. Logo após ser eleito, ele criticou o jornal Folha de S. Paulo, ameaçando não veicular propaganda governamental na publicação. Bolsonaro também já declarou o desejo de acabar com a TV Brasil, integrante da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC) e disse que concordava com os cortes feitos no orçamento do setor de comunicação do governo.  

Esta semana, porém, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Alberto dos Santos Cruz, declarou em entrevista ao canal Globonews que não tem planos imediatos para extinguir EBC. "Nesse momento, eu não tenho essa ideia. Recentemente, ela tinha mais de duas mil pessoas, então, ainda tem espaço para fazer enxugamento". 


Desde o ano passado, a EBC já realizou dois Planos de Demissão Voluntária (PDV)



Leia também:

Senado analisa proposta de isenção de impostos à fotógrafos e cinegrafistas na importação de equipamentos
ONU critica falta de independência em julgamento de assassinos de jornalista