No 100º dia do assassinato de jornalista, Anistia Internacional pede investigação internacional sobre o crime

Redação Portal IMPRENSA | 10/01/2019 11:12

A Anistia Internacional voltou a pedir a instauração de uma investigação internacional sobre o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi. A solicitação foi ratificada nesta quinta-feira (10), data em que se completam 100 dias do crime.

Crédito: Reprodução

Representantes da ONG colocaram uma placa de rua simbólica com o nome do jornalista próximo ao consulado da Arábia Saudita, em Istambul, na Turquia. Khashoggi foi assassinado no dia 2 de outubro de 2018, dentro do prédio da representação saudita na capital turca. 

A Arábia Saudita começou a julgar, na semana passada, os 11 homens acusados de envolvimento no crime. A procuradoria do país pediu pena de morte para cinco deles. Contudo, organizações internacionais têm se queixado que as investigações têm sido conduzidas exclusivamente pelas autoridades locais sem participação externa.


O governo saudita nega envolvimento do príncipe herdeiro Mohammed Bin Salman, contudo, a CIA, agência americana de investigação, identificou indícios de ligação da Casa Real com o crime. O governo da Turquia também não acredita que a ação tenha ocorrido sem participação do alto escalão governamental e pediu a extradição dos acusados.


Desde 2017, Khashoggi trabalhava como articulista no jornal Washington Post. Opositor do governo da monarquia saudita, ele havia deixado o país e se mudado para os Estados Unidos temendo represálias.


Leia também:

ONU critica falta de independência em julgamento de assassinos de jornalista
SporTV muda grade e apresenta novos programas para 2019