ONU critica falta de independência em julgamento de assassinos de jornalista

Redação Portal IMPRENSA | 08/01/2019 11:09

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) criticou o julgamento dos acusados pelo assassinato do jornalista Jamal Khashoggi. Para o órgão, o processo não atende a exigência de inquérito independente. 

Crédito:Jean-Marc Ferré/ONU

"Nós estamos pressionando por justiça no caso Khashoggi há meses. Estamos pedindo uma investigação, uma investigação independente, com envolvimento internacional, e isto ainda não aconteceu", disse a porta-voz do ACNUDH, Ravina Shamdasani.


O julgamento teve início na quinta-feira (3) da semana passada. Onze pessoas são acusadas de envolvimento no crime e a promotoria pediu pena de morte para cinco delas.


Comandado pela alta-comissária Michelle Bachelet, o ACNUDH já fez diversos contatos com autoridades sauditas para falar sobre o assunto. "Agora, embora estejamos cientes de que um julgamento acontece na Arábia Saudita, isto não é o suficiente, em primeiro lugar. Em segundo lugar, nós somos contra a imposição de pena de morte em todas as circunstâncias", destacou Shamdasani.


Segundo ela, apesar da insatisfação, o órgão não pode avaliar o julgamento porque não possui representação oficial na Arábia Saudita. "Não estamos presentes na Arábia Saudita para poder avaliar estes julgamentos, então, não podemos dar uma avaliação nós mesmos." 

 
Leia também:

Polícia liberta equipe, mas mantém jornalistas presos na Nicarágua
Procuradoria saudita pede pena de morte para cinco acusados de assassinar jornalista