Novo ministro diz que Brasil precisa ampliar acesso à banda larga

Redação Portal IMPRENSA | 02/01/2019 17:39

Em seu primeiro dia como ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Marcos Pontes destacou a necessidade de o Brasil ampliar o acesso aos serviços de banda larga na internet. 

Crédito:Marcelo Camargo/Agência Brasil

"Nós temos um país muito grande. Este é um dos esforços que a gente tem de fazer. Sabemos que tem regiões mais remotas, mais difíceis de se levar banda larga, mas é muito importante para as escolas, para as famílias para trazer a realidade atual", afirmou. 


Em julho, o Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) divulgou a pesquisa TIC Domicílios 2017 revelando que 61% dos lares brasileiros tinham acesso à internet. Com relação ao tipo de conexão, contudo, o levantamento constatou que os serviços de banda larga fixa estavam em 64% das residências, 25% usavam sistemas móveis do tipo 3G ou 4G, mas oos domicílios de classes D/E, 48% ainda tinham acesso à internet primordialmente por rede móvel.  


Pontes garantiu que os programas de inclusão digital serão mantidos e ressaltou a necessidade de avançar na questão envolvendo o uso do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas para dar suporte às conexões de internet em áreas remotas. Lançado em 2017, o uso do satélite virou alvo de polêmica na Justiça por causa da contratação, sem licitação, da empresa americana Viasat para operá-lo.


De acordo com a Agência Brasil, o novo ministro e sua equipe também analisam maneiras de tornar a Telebrás mais eficiente. A estatal é responsávelo pelo apoio à política de inclusão digital e fornecimento de infraestrutura de conexão. 


Leia também:

As polêmicas das restrições ao trabalho da imprensa na posse presidencial
Preço e desinteresse provocam retração no número de domicílios com TV por assinatura no país