Cerimônia de posse tem pool de emissoras e polêmica com novas regras

Marta Teixeira | 31/12/2018 11:13

Onze emissoras de televisão integrarão o pool de imagens formado para transmitir toda a cerimônia de posse de Jair Bolsonaro na presidência da República nesta terça-feira (1º), em Brasília. A Empresa Brasileira de Comunicação (EBC) vai coordenar o trabalho do grupo. 

Crédito:José Cruz/Agência Brasil
Organização fez último ensaio da posse nesta segunda-feira

O evento começa oficialmente às 14h, mas às 6h da manhã a GloboNews inicia sua cobertura especial. Os principais comentaristas da casa participarão da transmissão que terá 18 horas de duração.


A partir das 14h30, horário previsto para a cerimônia de posse propriamente dita, Globo, GloboNews e G1 se unem em transmissão simultânea. A Record inicia sua transmissão ao vivo às 14h e transmitirá flashes dos momentos mais importantes ao longo da sua programação. 


O SBT também abre sua cobertura às 14h. Com cerca de 50 profissionais envolvidos, a emissora terá câmeras exclusivas na Catedral Metropolitana, no Congresso, no Palácio do Planalto e no Itamaraty. 


A TV Gazeta não terá ao vivo, mas exibirá um especial sobre a posse de Bolsonaro no Jornal da Gazeta, às 19h, com comentários sobre o impacto da mudança de governo. A BandNews TV transmitirá a partir das 7h a posse dos governadores e a partir das 13h, a do presidente. A emissora montou um painel de led de 1.125 m² no Centro Comercial Boulevard de Brasília especialmente para a transmitir a cerimônia presidencial.  


Nas rádios, BandNews FM e Bandeirantes unirão suas forças para transmitir a posse do presidente e dos governadores das principais capitais do país. Além de flashes desde o início da programação, as duas emissoras transmitirão em cadeia das 14h às 19h20.

 

As rádios EBC abrem suas coberturas especiais às 8h. Na internet, o Portal EBC fará Tempo Real da posse a partir das 14h.


Polêmica


Mudanças nas regras de trabalho dos jornalistas para acompanhar a cerimônia de posse geraram polêmicas com a imprensa. O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do DF (SJPDF) publicou nota reclamando da determinação que proibiu a circulação dos profissionais de imprensa pela Esplanada dos Ministérios, limitou a realização de entrevistas com populares à Praça dos Três Poderes e proibiu a utilização de mochilas para transporte de equipamentos de trabalho assim como o uso de capacetes ou máscaras de proteção.


A programação 

     

O sinal do pool de emissoras abre às 13h30, às 14h Bolsonaro e a primeira-dama Michelle deixam a Granja do Torto rumo à Catedral de Brasília e, de lá, para o Congresso Nacional onde ele se torna oficialmente o novo presidente da República e profere o primeiro discurso diante dos parlamentares. 


De lá, o presidente vai para o Palácio do Planalto onde receberá a faixa presidencial de seu antecessor, Michel Temer, dará posse aos ministros, cumprimentará os chefes de Estado presentes, fará a foto oficial e mais um discurso. Por volta das 19h, Bolsonaro segue para o Itamaraty para participar do jantar com autoridades.


Nesta segunda-feira (31), foi realizada a última checagem de segurança do esquema oficial para a cerimônia. 


Leia também: 

Após 30 anos, Alexandre Garcia deixa a Rede Globo
Governo cria órgão para proteção de dados dos indivíduos