Jornalista foge da Nicarágua e acusa governo de perseguição

Redação Portal IMPRENSA | 27/12/2018 10:12

O jornalista Luis Galeano fugiu da Nicarágua após a Justiça da capital Manágua expedir um mandado de prisão contra ele. O diretor do programa Café com Voz transmitiu a informação via rede social, acusando o governo de Daniel Ortega de perseguição. 

Crédito:Reprodução/Twitter

"Saímos do país efetivamente devido à perseguição promovida pela ditadura contra os veículos de imprensa independentes, contra jornalistas independentes", afirmou.


O registro também foi feito no Twitter do programa. "A equipe de Café com Voz saiu do país devido à perseguição política que o regime Ortega-Murillo empreendeu contra mídias e jornalistas independentes; e particularmente contra nosso diretor...", informava o texto. 

Crédito:Reprodução/Twitter

Galeano não foi o único profissional de imprensa alvo de perseguição oficial. Lucía Pineda, diretora de imprensa do Canal 100% Notícias, e Miguel Mora, proprietário da emissora, estão presos desde o último fim de semana. Ambos foram acusados de terrorismo pelo regime de Ortega por noticiarem protestos populares contra a crise no país. Há 11 anos no poder, o presidente se diz vítima de tentativa de golpe de estado. 


Além de de Galeano, a Justiça da Nicarágua também expediu mandados de prisão para outros dois profissionais do canal: Jackson Orozco e Jaime Arellano. "Eles querem nos criminalizar, nos culpar pela desgraça que eles mesmos provocaram. Na Nicarágua, virou crime pensar diferente, dizer as coisas que você acredita, emitir opiniões apesar de a Constituição nos dar esse direito", desabafou Galeano.     


Leia também:

Jornalistas são presos e acusados de terrorismo pelo governo da Nicarágua
Blogger crítico do governo russo é condenado a seis anos de prisão