"Não adianta conhecer a matéria sem dominar o código deontológico da sua profissão e sem ter a responsabilidade de colocá-lo em prática", afirma premiada

Redação Portal IMPRENSA | 21/12/2018 14:50

Vencedora do Professor IMPRENSA na categoria "Orientador de TCC", pela região Nordeste, Cristina Mascarenhas Santos é uma daquelas educadoras que deseja sempre mais. Professora na Faculdade Social da Bahia (FSBA), ela admite que nunca havia se imaginado como uma das premiadas. Não que não se julgasse merecedora, mas sentia sempre a necessidade de ir um pouco além no exercício de suas atribuições. 

Crédito:Divulgação

"Não tinha ideia do efeito desse prêmio em mim. Primeiro, nem imaginava um dia concorrer. Quem trabalha com conhecimento, pelo menos eu penso assim, tem a sensação de que precisa sempre mais e mais e mais. A sensação de nunca ser suficiente e que, no próximos semestre precisa aprimorar alguns pontos. Daí a razão de nunca ter pensado no prêmio como uma possibilidade. Ser escolhida entre os finalistas me deu uma alegria tão grande. Era um sinal de que as coisas iam bem, de que o caminho estava sendo bem trilhado. O resultado final foi a cereja do bolo. Foi o sorriso largo, mas, ao mesmo tempo, o crescimento da responsabilidade", explica.


Por mais responsabilidade entenda-se continuar buscando novos conhecimentos a cada dia. "Sim, é preciso fazer mais. Estudar mais, ter mais paciência, mais dedicação, mais ternura (porque precisamos ser sempre termos) e sermos também mais duros (porque não podemos deixar de entender que o mundo tem os seus pedregulhos). O prêmio retroalimentou a minha vontade, a minha alegria, o meu prazer porque também é bom ser premiado mesmo que pelas obrigações", destaca.


Ao se sentar ao lado de um orientando o sentimento tem um novo sabor. "Não tenho como negar que o olhar hoje está diferente. Sento ao lado do meu orientando e/ou minha orientanda (permita-me a posse), olho para ele(a) e penso: vamos fechar esse ciclo, mas vamos motivá-lo para percorrer tantos outros caminhos e passar por tantas outras experiências. Agradeço a oportunidade, agradeço a experiência", diz motivada. 


E nessa trilha de formação profissional, Cristina acha fundamentais a ética, a responsabilidade e o conhecimento. Os pilares da formação dos comunicadores na sua opinião. "Não adianta conhecer a matéria sem dominar o código deontológico da sua profissão e sem ter a responsabilidade de colocá-lo em prática", completa.  


Sobre o projeto
 
Promovido pelo Portal IMPRENSA, o projeto está em sua 4ª edição e reconhece os professores que constroem o futuro da comunicação no Brasil por meio de seus alunos.
 
O Professor IMPRENSA é o único título que o docente de comunicação recebe que leva em conta o relacionamento, a confiança e parceria no processo de aprendizagem profissional. Apontamos nesta homenagem a diferença que o professor faz na vida acadêmica e profissional dos estudantes.
 
Esta edição conta com o apoio da Intercom - Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, da Jeduca – Associação de Jornalistas de Educação, da ABEJ - Associação Brasileira de Ensino de Jornalismo, e da ABPEducom - Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais em Educomunicação.
 
No site www.portalimprensa.com.br/professorimprensa, conheça os vencedores desta edição e confira os depoimentos dos professores indicados comentando os principais desafios que identificaram como docente no curso de comunicação, e as oportunidades junto aos alunos.


Leia também:
Dedicação, interesse e disciplina são essenciais na formação do comunicador, destaca Gutenberg Barbosa