BNDES lança agência de notícias para auxiliar imprensa e combater desinformação e boatos

Marta Teixeira | 14/12/2018 18:54

Lançada esta semana, a agência de notícias do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)  é uma ação da instituição para facilitar para a imprensa o acesso a suas informações e auxiliar no combate à propagação de desinformação e boataria nas redes sociais. O banco elegeu a intensificação e maior transparência dessa relação entre suas prioridades para o  planejamento 2018-2023.

Crédito:Reprodução

Ao Portal IMPRENSA, Helena Tenório, superintendente de Comunicação e Relacionamento Institucional do BNDES, antecipou ações que serão realizadas no próximo ano. São elas, a retomada do fórum de diálogo permanente com grupos organizados da sociedade civil, a realização de workshops com a imprensa para detalhamento da plataforma de transparência e a sistematização do processo de pesquisas para avaliar as ações do Banco e planejar novas iniciativas. Resultado de Acordo de Cooperação firmado em novembro com o TCU para troca de informações entre as instituições e de uma consulta pública, a plataforma está acessível há algum tempo. O banco, porém, a considera ainda subaproveitada pela imprensa como fonte de informação e de pautas.  


"O projeto (como um todo), e sua respectiva priorização, é fruto de pesquisas internas e externas, corroboradas por diagnóstico da consultoria internacional Roland Berger, segundo as quais o Banco precisava aprimorar seu relacionamento com públicos de interesse, a fim de demonstrar mais claramente a efetividade de sua atuação ao conjunto da sociedade brasileira", explica Helena. 


Acessível a qualquer pessoa, a agência vai fornecer diariamente notícias, reportagens, entrevistas e conteúdos multimídia, como fotos, áudios e vídeos. O material pode ser consultado também em dispositivos móveis (celulares e tablets). Os assuntos serão divididos em 15 editorias e o novo canal terá ainda uma seção, chamada Fato ou Boato, dedicada à checagem de fatos, disponibilizando conteúdo verificado oficial aos leitores, reduzindo, assim, impactos da circulação de notícias falsas na internet. 


"Os monitoramentos de redes sociais realizados pelo BNDES indicam que é considerável a quantidade de informações equivocadas sobre o banco que circula na internet. A maioria deles diz respeito ao financiamento à exportação de bens e serviços de engenharia, frequentemente confundido com o envio de dinheiro para outros países, o que não é fato. Também é recorrente que se associe ao BNDES obras e projetos jamais financiados pelo banco. Diante desse universo amplo, e embora haja uma interlocução frequente da nossa assessoria de imprensa com as agências de fact checking já existentes, consideramos oportuno incluir na agência um espaço dedicado a essas questões", detalha Helena, para explicar a importância da seção. de checagem. 


O Departamento de Comunicação do BNDES será responsável pelo conteúdo da agência. A equipe já cuida da assessoria de imprensa, comunicação interna, gestão das redes sociais e editoração das publicações do banco. "A agência busca atender a uma crescente demanda da sociedade por transparência. Isso implica não apenas disponibilizar uma grande quantidade de informações operacionais, mas também traduzir esses dados para o cidadão comum e ampliar o diálogo com a imprensa”, complementa a superintendente.

Leia também:

Projeto de lei sobre criminalização de fake news é protocolado para ser analisado pelo Senado
Governo lança cartilha sobre proteção a jornalistas e comunicadores