A importância dos labjors como ferramenta para combater a AIDS/HIV

Marta Teixeira | 12/12/2018 17:28

Como para qualquer adolescente na faixa dos 20 anos, sexualidade e gênero são assuntos que despertam interesse e têm alta adesão como sugestão de pauta entre os alunos dos cursos de comunicação. Nesse contexto, produzir reportagens sobre AIDS/HIV é um desafio bastante apreciado pelos estudantes nos jornais laboratórios (labjors) das universidades. 

Crédito:Marta Teixeira

Durante o Fórum Digital Aids e o Brasil 2018 foi abordado o tema "Os labjors no combate à AIDS e outras IST", e o assunto despertou muita interação. Com mediação do jornalista Fabio Rubira, este bloco contou com os professores Antônio Rocha Filho, do Centro Experimental de Jornalismo da ESPM-SP, Ana Paula Borges de Oliveira, coordenadora do jornal-laboratório Olhar Social na Universidade Municipal de São Caetano do Sul, e Patrícia Paixão, editora do Jornal Expressão na Universidade São Judas Tadeu, que falaram sobre a importância de incluir a pauta nas produções de seus alunos. 


Um ponto importante destacado pelos participantes foi a oportunidade de falar sobre um assunto que nem sempre tem o destaque necessário nas mídias tradicionais. "As pautas ligadas a sexualidade e gênero são bastante procuradas pelos alunos. O que percebo é que, às vezes, esse é o espaço no qual conseguem desenvolvê-las porque, mesmo aqueles que já estão trabalhando no mercado, muitas vezes não podem fazer isso onde atuam profissionalmente", explicou Ana Paula. "O jornal laboratório deve servir para isso porque há muita falta de informação e percebemos que existe um interesse grande", completou.


"Ainda hoje a mídia tradicional não sabe bem quando trazer a discussão para o debate. Talvez falte um acompanhamento mais permanente. Não há um trabalho constante. A mídia não parece ter ainda o ponto ideal", analisou Rocha Filho. 


Como reflexo da realidade de vários veículos de mídia atuais, nos quais o repórter é seu próprio editor, os labjors acabam sendo também o espaço em que esses estudantes podem aprender a importância da apuração detalhada e da edição cuidadosa para assegurar a qualidade da informação. Ana Paula, Rocha Filho e Patrícia ressaltaram que esse aspecto é fundamental em qualquer reportagem, seja em um labjor ou em uma redação tradicional, e mais ainda em temas como AIDS/HIV nos quais luta-se tanto contra a desinformação quanto contra o preconceito.


"Talvez, a gente deva ser mais crítico ao reproduzir uma fala mais preconceituosa, mostrando um contraponto. Esse é um papel que o jornalista precisa ter, mostrar esse senso crítico", lembrou Rocha Filho.   


No processo de envolvimento dos futuros comunicadores com o tema AIDS/HIV, Patrícia Paixão valorizou também a questão da linguagem. Com o dinamismo da produção de conteúdo, a educadora ressaltou que a forma precisa acompanhar essas transformações. "Um papel muito importante na academia é a busca de novas linguagens de comunicação para que os estudantes tenham identificação com o que está sendo feito." 


Os efeitos dessas orientações, os educadores esperam ver no trabalho futuro desses estudantes. Para eles, se a experiência nos labjors for capaz de fazer o jovem se despir do preconceito quando for abordar o assunto em uma redação profissional no futuro, já terá valido a pena.   



O debate teve a participação online de quem acompanhou o fórum por streaming. Representante da outra ponta dos labjors, Isabela Beloti, estagiária no Jornal Impressão, produzido pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH), participou com pergunta durante este bloco. No vídeo abaixo, você confere os depoimentos da equipe do Jornal Impressão, comentando o papel dos jornais laboratório no combate à AIDS. 


O Fórum Aids e o Brasil foi promovido pela Revista e Portal IMPRENSA, em parceria com o Ministério da Saúde e o curso de jornalismo da ESPM e teve o apoio do UNAIDS - programa da Organização das Nações Unidas para combater a doença.

Para conferir os destaques do Fórum Digital Aids 2018 e ver conteúdos relacionados, acesse www.portalimprensa.com.br/forumaids



Leia também:
Jornalismo e divulgação científica: uma combinação positiva no combate à AIDS/HIV
Jornalismo humanizado é chave para combater desinformação e fake news sobre AIDS/HIV