Polícia identifica responsáveis intelectuais por assassinato de jornalista em Malta

Redação Portal IMPRENSA | 19/11/2018 10:01

Um ano depois do atentado que provocou a morte da jornalista Daphne Caruana Galizia durante a explosão de um carro-bomba, em Malta, a polícia identificou os responsáveis intelectuais pelo crime. A informação é do jornal maltês The Sunday Times, que não revelou os nomes dos envolvidos. 

Crédito:Reprodução/Youtube

Segundo uma fonte policial mantida em sigilo pela publicação, os autores intelectuais foram "mais de dois" malteses. O crime foi cometido no dia 16 de outubro de 2017. 


Daphne tinha 53 anos e era uma repórter investigativa conhecida por revelar esquema de lavagem de dinheiro e contrabando envolvendo integrantes do governo e o crime organizado. Três homens haviam sido presos pela polícia em dezembro do ano passado, acusados de praticarem o crime: Alfred e George Degiorgio e Vince Muscat.  


Desde a morte de sua mãe, o também jornalista Matthew Caruana Galicia tem se dedicado a lutar pelo esclarecimento do crime. El foi o ganhador do prêmio Pulitzer de 2017 por suas revelações sobre os Panama Papers. 


Leia também:

Repórteres Sem Fronteiras entrega prêmio para liberdade de imprensa

Arábia Saudita indicia 11 suspeitos pelo assassinato de jornalista