Justiça húngara suspende pena de cinegrafista que atacou refugiados

Redação Portal IMPRENSA | 31/10/2018 09:28

A cinegrafista Petra László teve sua condenação suspensa pelo Supremo Tribunal da Hungria. Ela havia sido condenada, no ano passado, por um tribunal de primeira instância, a três anos de liberdade condicional por vandalismo após ter sido filmada enquanto chutava refugiados e fazia um homem carregando o filho tropeçar e cair. O fato aconteceu em 2015, na fronteira com a Sérvia, quando um grupo de refugiados turcos tentava entrar no país. 

Crédito:Reprodução/Youtube

De acordo com a sentença do Supremo, a jornalista não cometeu um crime, mas uma infração e esta já prescreveu. "O que a repórter fez não constitui crime, mas, sim, uma conduta ilícita, que também é moralmente censurável e sancionável pela lei", justificou o tribunal na sentença, na qual o ato foi qualificado como "perturbação". 


Na época, Petra trabalhava para a emissora húngara de TV N1. A empresa é alinhada ao governo de extrema-direita húngaro. 


Leia também:

Projeto Comprova lança guia para verificar veracidade em fotos e vídeos
Rádio Terra é condenada por uso indevido da marca Tupi. Indenização será de R$ 100 mil