Comitê para Proteção de Jornalistas faz apelo a líderes na ONU pela liberdade de imprensa

Redação Portal IMPRENSA | 28/09/2018 09:36

As constantes violações à liberdade de imprensa são tema de um painel de discussão que o Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) pretende abordar na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), nesta sexta-feira (28), em Nova York (EUA).

Crédito:La Prensa / J. Flores
Jornalistas do Canal 10 pedem liberdade para a imprensa na Nicarágua

O CPJ vem fazendo alertas de perseguições, prisões e assassinatos de jornalistas em várias partes do mundo, especialmente nos dois últimos anos, quando os ataques se intensificaram.


"Jornalistas estão sendo presos em números recordes em todo o mundo. Eles são regularmente ameaçados, atacados e mortos, o que prejudica não apenas seus próprios direitos humanos fundamentais, mas também o direito do público de receber e transmitir informações", diz o CPJ em comunicado no seu site.


O comitê quer chamar a atenção dos líderes mundiais para os desafios globais da liberdade de imprensa. Em países como México, Venezuela, Nicarágua e até o Brasil, mais recentemente, estão se acumulando casos de ameaças, agressões, prisões arbitrárias e assassinatos.


Além das ocorrências na América Latina, há outras gravíssimas em Mianmar, Bangladesh, Egito e Quirguistão. Inclusive, o caso dos dois jornalistas da Agência Reuters presos e condenados a sete anos de prisão em Mianmar, está no foco da discussão.


Wa Lone, 32 anos, e Kyaw Soe, 28, foram acusados pelas autoridades locais de violarem segredos oficiais de estado por serem flagrados com documentos oficiais de uma operação militar. Eles alegam ter sido vítimas de uma armação, já que os dados foram entregues a eles por policiais.


O presidente e editor-chefe da Reuters, Stephen Adler, e o advogado Amal Clooney, que representa a agência e os dois repórteres presos em Mianmar, vão falar sobre o caso na Assembleia da ONU, assim como o diretor executivo do Comitê para a Proteção dos Jornalistas, Joel Simon, vai explicar outros casos espalhados pelo mundo.


Leia Mais

Radialista é baleado e criminosos deixam recado: "É pra você parar de falar besteira"

México chega a nove jornalistas assassinados em 2018. Ainda há 21 desaparecidos

Jornalista comparece a julgamento de recurso e é preso antes mesmo da audiência