Parlamento europeu aprova mudanças na lei dos direitos autorais, mas polêmica continua

Redação Portal IMPRENSA | 12/09/2018 17:35

Rejeitado em junho deste ano, o projeto de lei sobre os direitos autorais nas plataformas digitais recebeu algumas emendas e foi aprovado pelo parlamento europeu nesta quarta-feira, com 438 votos a favor e 226 contra, além de 39 abstenções.


Crédito:Patrick Seeger / EPA
Parlamento quer harmonizar as normas sobre os direitos autorais em toda a União Europeia


A intenção é padronizar as normas da União Europeia com relação aos direitos do autor, mas ainda há muitas críticas sobre o projeto porque ele é visto como uma ameaça à liberdade de informação.


De acordo com informações do portal Euronews, o problema maior se concentra no artigo 11, que obriga qualquer plataforma online a pedir uma autorização prévia para compartilhar um link de uma reportagem. Com isso, os portais noticiosos poderiam cobrar uma taxa das plataformas, o que vem sendo chamado de imposto do link.


O artigo 13 também é alvo de polêmica. Ele prevê que as grandes plataformas que hospedam “quantidades significativas” de uploads, como Facebook, Twitter e Youtube, são obrigadas a criar filtros que impeçam a violação dos direitos autorais. As pequenas empresas estão isentas dessas duas regras, mudanças que, segundo os defensores da lei, garante a liberdade de informação.


A meta do parlamento é que as empresas que compartilham conteúdo dividam suas receitas com as indústrias criativas da Europa. Apesar da vitória desta quarta-feira, a nova lei ainda será submetida a mais discussão entre a Comissão Europeia, o Conselho Europeu e o Parlamento Europeu. Em seguida haverá uma votação final do parlamento, prevista para acontecer até o início do ano que vem.


Leia Mais

Globo aciona perfis do Twitter por direitos autorais de memes com prints de programas

TVT afirma que processará veículos que usaram link da emissora sem autorização