Fake news sobre vacinas no Brasil preocupa entidade pan-americana

Redação Portal IMPRENSA | 30/07/2018 10:57

As fake news sobre as vacinas já sinalizaram alerta para o Ministério da Saúde e Secretaria de Comunicação da Presidência da República, que iniciaram uma campanha para conter as notícias falsas. Agora foi a vez da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) mostrar a sua preocupação sobre o assunto, que vem refletindo na baixa cobertura vacinal e gerando surtos de sarampo no país. A informação é do Metrópoles. 

Crédito:Pixabay


Lely Guzman, especialista em imunização da entidade, ressaltou que a Opas está ajudando o governo brasileiro no processo de tentar coibir as fake news. 


“Especialmente na América Central e do Sul, não há muita influência dos movimentos antivacina, mas as informações falsas são motivo de preocupação. Por isso, a comunicação social, a ampla divulgação de informações com base em evidências, é muito importante”, disse Guzman para o Metrópoles, que completou: 

“todas as doenças são foco de preocupação constante, mas algumas representam risco de propagação internacional, principalmente em caso de surtos.” 


Em 2018, segundo o especialista, foram publicadas atualizações para sarampo, febre amarela, malária, difteria, influenza (gripe) e pólio.


Iniciada neste mês, a campanha do Ministério e da Secretaria, já identificou mais de 1000 fake news somente este ano. Uma equipe checa a notícia e divulga o posicionamento do Ministério sobre o assunto. 


Leia mais

Fake news sobre vacinas somam mais de mil só neste ano, alerta Ministério da Saúde

Fake news: Grupo Globo lança serviço de checagem unindo todos os seus canais de comunicação

Fake news: robô @fatimabot estreia no Twitter para mapear notícias falsas durante eleições