Jornalista é condenada por tribunal turco por lei antiterror

Redação Portal IMPRENSA | 19/07/2018 09:36

Um tribunal turco condenou, nesta quinta-feira (19), a jornalista Canan Coskun, do jornal Cumhuriyet, de oposição, a mais de dois anos de prisão, sob a acusação de tornar alvos potenciais para grupos militantes com suas reportagens. As informações são da Reuters.

Crédito:Reprodução internet


O caso foi desencadeado por um artigo que a jornalista escreveu, em setembro passado, sobre os dois professores que fizeram greve de fome para protestar contra a demissão de milhares de funcionários públicos após o golpe fracassado no ano passado.


Na ocasião, mais de 100 mil funcionários foram destituídos e inabilitados de ocupar cargos públicos por meio de decretos amparados pelo Estado de emergência vigente no país. 


O tribunal considerou que Coskun, que cobriu os tribunais de Istambul para o jornal, tornou "as pessoas envolvidas na luta contra o terrorismo um alvo", informou o jornal Cumhuriyet.


Organizações de direitos humanos expressaram crescente preocupação com a liberdade de imprensa na Turquia, onde o presidente Tayyip Erdogan venceu as eleições no mês passado, provocando uma mudança para uma poderosa presidência executiva.


Leia mais

Jornalista turco Erdem Gul é absolvido por tribunal de Istambul

Jornalista turco detido há dois anos por suposto envolvimento com golpe é libertado

Partido Comunista Chinês passa a controlar diretamente a imprensa de seu país