Paulo Caruso recebe prêmio especial no PortoCartoon

Gisele Sotto, em colaboração | 11/07/2018 15:36
A edição dos 20 anos do PortoCartoon World Festival teve como temas o meio ambiente, a fadista Amália Rodrigues e o cineasta e músico Woody Allen. Iniciado em 1999, o prêmio é uma iniciativa do Museu Nacional da Imprensa, que fica em Porto (Portugal), e reúne cartunistas do mundo inteiro, os quais reforçam o cartoon como uma das linguagens mais universais, por meio de uma larga e criativa diversidade de estilos e mensagens de humor.
Crédito:Montagem de fotos / Arquivo pessoal - Paulo Caruso

Entre os premiados da edição de 2018 está Paulo Caruso, chargista, cartunista, e colunista da Revista IMPRENSA. Ele foi agraciado com o prêmio especial Woody Allen pelo seu “Woodiabo”, e recebeu também menção honrosa por uma caricatura de Amália Rodrigues. Em entrevista ao Portal IMPRENSA, Caruso fala sobre esta conquista.   

O que representa para você ser reconhecido pelo PortoCartoon?

Me sinto fazendo parte do Planeta Humor, entrando em sintonia com os profissionais dessa área no mundo todo. Curioso é perceber, através das diferenças de língua, cultura e história, como fazemos parte de um mesmo mundo onde rir ainda é a melhor saída. 

Qual foi a inspiração para a criação desta caricatura de Woody Allen? 

Com relação aos outros trabalhos premiados, meu desenho foi o único a questionar a condição do cineasta com as acusações que vem sofrendo por abuso dos seus filhos. O personagem que criei questiona isso, através do diabo travestido com uma máscara como aquela do Groucho Marx, agora com o nariz e os óculos característicos e tão caricaturados do Woody Allen. Será possível, um Woodiabo!? Essa é a questão que meu desenho coloca.

Para conhecer todos os trabalhos premiados na 20ª edição do PortoCartoon, é só acessar este site, que traz uma galeria com os classificados desde a 1ª edição.

Leia também:
"Bar IMPRENSA - Bola da Vez", por Paulo Caruso