Copa do mundo: jornalista da Colômbia é agarrada ao vivo por torcedor em praça de Moscou

Redação Portal IMPRENSA | 21/06/2018 12:41

A jornalista Julieth González Therán foi mais uma vítima de assédio na Copa do Mundo. Durante uma transmissão ao vivo, na Praça do Manege, em Moscou, às vésperas do mundial, um homem a beijou e colocou a mão em um de seus seios. 

Crédito:Reprodução DW


A jornalista é enviada especial da emissora alemã Deutche Welle, que denunciou o caso em seu site. A informação também vem sendo veiculada por toda a imprensa internacional e nacional


Apesar da situação, Julieth conseguiu concluir a transmissão, mas logo depois se manifestou em seu perfil do Instagram. 


Em seu post, ela afirmou que compartilha e entende a alegria que o futebol causa aos torcedores, mas ressaltou que todos devem saber identificar os limites entre o afeto e o assédio.


“Respeito! Não merecemos esse tratamento. Somos igualmente valiosas e profissionais”, escreveu.


Em entrevista ao site norte-americano Yahoo Sports, a jornalista contou que enquanto esperava para entrar ao ar, ninguém se aproximou. Mas foi só a transmissão começar para o homem aparecer.


Não é a primeira notícia de assédio contra mulheres relatados durante a Copa do Mundo da Rússia. 


O caso que ganhou maior repercussão foi realizado por um grupo de brasileiros que assediou uma mulher russa e postou o vídeo nas redes sociais. 


No vídeo os homens incentivam a mulher a falar sobre suas partes íntimas. Eles falam sobre a genitália da mulher, usando um palavrão, e dizendo que ela é “rosa, rosinha, bem rosinha”. 




Leia mais
Vídeo de Jackson Pinheiro, da Fox Sports, entrará no Top 5 da Copa, diz Benja
Alemãs orientam jornalista que denunciou doping russo a não ir à Copa do Mundo
PVC lança o livro "Escola Brasileira de Futebol" em SP