Equipe da Abraji viaja a Edealina para apurar morte de radialista goiano

Redação Portal IMPRENSA | 26/01/2018 10:00

Uma equipe da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) viaja neste domingo (28) para Edealina, no sul de Goiás, para investigar o assassinato do jornalista Jefferson Pureza Lopes, morto no último dia 17.


Crédito:Divulgação/Facebook
20180119 Jefferson Pureza Lopes


Segundo a entidade, autoridades do Estado — dentre os quais o governador Marconi Perillo e o secretário de Segurança Pública Ricardo Balestreri — foram notificados da viagem.


A apuração ocorre no âmbito do "Programa Tim Lopes", criado pela Abraji  com apoio da Open Society Foundations em 2017 com o objetivo de ajudar a esclarecer casos de violência contra profissionais do jornalismo e dar continuidade às reportagens interrompidas por criminosos com o intuito de impedir a sua publicação.


Viajam ao município goiano a equipe formada por Angelina Nunes, coordenadora do Programa Tim Lopes, e Rafael Oliveira, jornalista da Abraji. Caso encontrarem indícios de que o assassinato de Jefferson esteja vinculado ao trabalho jornalístico da vítima, uma equipe de repórteres de diferentes veículos viajará a Edealina para realizar reportagens aprofundadas sobre o crime e sobre os temas que o comunicador cobria.


Ameaçado de morte há mais de um ano por denunciar irregularidades em sua região, Jefferson Pureza Lopes foi executado dentro de sua própria casa, em Edealina.


Leia também:

Radialista é executado dentro da própria casa no sul de Goiás