"No mundo todo as mulheres ainda lutam pelos seus direitos", afirma Ana C. Fernandes

Redação Portal IMPRENSA | 07/04/2016 14:30
Mesmo com tanta experiência acumulada ao longo de 30 anos de fotojornalismo, nunca é tarde demais para aprender coisas novas. E Ana Carolina Fernandes sabe bem disso. Vencedora da 11ª edição do Troféu Mulher IMPRENSA, com 29% dos votos, na categoria "Fotojornalismo", a carioca é incansável na busca pelos melhores ângulos. 

Crédito:Divulgação
Ana Carolina Fernandes, vencedora da categoria "Fotojornalismo"

Fotojornalista desde os 19 anos, já passou pelas redações de O Globo, Jornal do Brasil, Agência Estado e Folha de S.Paulo, onde ganhou dois prêmios Folha de melhor foto do ano. Atualmente, além de fotografar quase que diariamente as praias do Rio de Janeiro, desenvolve ensaios documentais e autorais sem abandonar o fotojornalismo. 

Desde 2013, ela registra as manifestações de rua no Brasil e é nesse ponto que ela revela a grande mudança na publicação de sua arte. Incentivada pela irmã a criar um Facebook e Instagram há cinco anos e poder “publicar” todas as suas fotos, hoje ela revela que boa parte do seu sucesso se dá por meio das redes sociais. 

“Vale ressaltar também a importância das redes sociais, onde tenho a liberdade de editar e publicar o meu trabalho exatamente como eu quero, seja ele artístico, documental ou fotojornalismo factual como fiz durante todas as manifestações de 2013 e 2014”, revela. 

Essa insistência em passear pelo mundo virtual deu resultados. Em 2014, a fotojornalista foi citada pela revista Time como um dos 9 fotógrafos brasileiros a serem seguidos na Internet. “Sempre decidi deixar tudo aberto para quem quisesse ver e comentar. O retorno foi imediato e incrível. Usar o Facebook praticamente como um jornal durante as manifestações de rua foi uma consequência natural”. 

Para Ana Carolina, que já participou de dois livros como fotógrafa - “Blocos de Rua do Carnaval do Rio”, em 2012, e “As Donas da Bola”, em 2014 - é necessário criar prêmios que prestigiem a mulher no Brasil e no Mundo. “Infelizmente, no mundo todo as mulheres ainda lutam pelos seus direitos, igualdades, liberdades e dignidades”. 

Ganhar prêmios para ela não é novidade, já foi finalista do Prêmio Conrado Wessel e Shortlist Top Tem Award, ambos em 2013. Sobre a conquista do Troféu Mulher IMPRENSA, ela conclui: “no fotojornalismo, eu acredito que esse Prêmio possa incentivar outras mulheres a seguirem essa carreira e saberem que apesar de ser uma profissão difícil, ela é de grande importância humanística”.