PF flagra publicitário oferecendo capa da "IstoÉ Dinheiro"

Redação Portal Imprensa | 18/06/2005 13:16
Uma conversa entre Adriano Schincariol, diretor-superindente da Schin, e o publicitário Luiz Lara, da agência Lew (empresa que prestava serviços publicitários à Schin) gravada pela Polícia Federal como parte das investigações da "Operação Cevada", revela que o publicitário teria um esquema montado para compra de matérias em grandes revistas do país. Na gravação, Lara sugere ao empresário que poderia "oferecer uma certa quantia a Domingo Alzugaray, diretor da Editora Três, para a publicação de uma capa da Dinheiro sobre a pauta fiscal", em função da editora estar enfrentando problemas financeiros. O publicitário também teria citado o nome da revistas "Época" como uma das possíveis revistas envolvidas no esquema. A informação foi publicada nesta semana pelo jornal "Valor Econômico".

Segundo o jornal, a gravação foi feita dois meses antes da Istoé Dinheiro publicar a reportagem de capa: "A virada da Schin" (edição de 23/02). Em sua defesa, Luiz Lara confirmou a conversa e em carta distribuída à imprensa disse que "O diálogo telefônico, transcrito, entre o diretor superintendente da Schincariol, Adriano Schincariol, e eu, Luiz Lara, tratou, exclusivamente, da elaboração de um plano de mídia absolutamente técnico, identificado pela agência em veículos da Editora Três". O publicitário continua "durante a conversa com Adriano Schincariol, reconheço que me excedi inadvertidamente, pois uma agência de publicidade não tem a função e nem o poder de interferir no conteúdo editorial dos veículos de comunicação". Fechando a carta Lara pediu desculpas a "Editora Três, pelos excessos verbais cometidos".

Na tarde de ontem, em resposta à denúncia, Domingo Alzugaray lançou uma carta à imprensa dizendo que "Schincariol foi capa da revista Dinheiro por méritos próprios - praticamente dobrou suas vendas em um ano. Antes da Dinheiro, mereceu capa e reportagens de destaque em várias outras publicações, entre elas a Época Negócios".

Operação Cevada
A Operação Cevada é uma investigação da Polícia federal que tem por objetivo acabar com uma rede de sonegação de impostos (Imposto de Renda e o ICMS) no setor de bebidas.

O policiais federais atuaram em 12 estados, e prenderam, dentre outras pessoas, 9 diretores da Cervejaria Schincariol.