Conheça as finalistas da categoria Âncora de Rádio do Troféu Mulher IMPRENSA 2011

Redação Portal IMPRENSA | 03/02/2011 19:11
Desde 2004, o Troféu Mulher IMPRENSA é o único no Brasil a reconhecer o trabalho das mulheres nas redações do país. Entre as categorias premiadas, está a de Âncora de Rádio, cujas finalistas em 2011 são Cássia Godoy, Fabíola Cidral, Katia Suman, Patrícia Palumbo e Tatiana Vasconcellos. 

Cássia Godoy é âncora da Rádio BandNews FM há quase cinco anos e, antes disso, trabalhou por oito anos na Rádio CBN. Ela acredita que apesar da maior compreensão de que não é o gênero que determina o talento, a premiação é válida: "Ainda é necessário destacar as boas atuações femininas em todos os segmentos para que um dia tenhamos de fato igualdade de posições. Esse tipo de reconhecimento pode ter um papel significativo na redução da distância que nos separa dos homens em posições estratégicas nos meios de comunicação."

Outra finalista é Fabíola Cidral, âncora na CBN desde 2000, com passagens pela TV Bandeirantes, pela rádio Litoral FM (Santos) e rádio USP. Fabíola reconhece a importância do Troféu Mulher IMPRENSA, pois acredita que as mulheres ainda não recebem tanto reconhecimento quanto os homens. "A mulher merece, diante de tudo que já viveu, do preconceito que já atravessou", defende. Mas Fabíola discorda do método de votação envolvido na segunda parte do Troféu: "Ter de fazer campanha é algo meio injusto. É algo que não dá tanta credibilidade ao prêmio. A indicação das finalistas é muito bacana, mas depois abre muito para os amigos, para o quanto sou popular na internet. E eu não faço campanha."

Katia Suman atuou durante 16 anos (1983 a 1999) como locutora, produtora, programadora e apresentadora na rádio Ipanema FM, em Porto Alegre. Depois passou pela FM Cultura e rádio Unisinos FM e retornou para a Ipanema FM em 2006. No ano passado atuou no programa "Talk Radio" da rádio Itapema FM, do Grupo RBS. A identificação local deixa Katia ainda mais feliz com a indicação: "Para mim é uma satisfação imensa, até pelo fato de eu exercer minha atividade aqui no Rio Grande do Sul, que é periférico se formos pensar que as coisas acontecem no eixo Rio - São Paulo. Eu sou conhecida aqui pela província [risos]. Então, ter alguém nacionalmente, um grupo de excelência que me coloca nessa lista, já ganhei!"

Diretora e apresentadora do programa "Vozes do Brasil" desde 1995 e repórter especial de ambiente na Rádio Eldorado de São Paulo, a finalista Patrícia Palumbo reconhece a importância da mulher no jornalismo e destaca que o ideal é o equilíbrio nas redações: "Uma visão feminina sobre os fatos muitas vezes pode ser esclarecedora. Gosto de redações mistas, inclusive de opiniões". Patrícia tem grande destaque também no meio cultural, como especialista em MPB, produtora artística e autora de livros sobre o tema.

Também é finalista Tatiana Vasconcellos, que foi produtora e repórter da Rádio CBN por seis anos e, desde 2006, é âncora da Rádio BandNews FM, onde assina também a coluna sobre cinema. Tatiana reconhece a importância do prêmio como forma de homenagear a mulher, já que acredita ainda haver diferenças entre o gênero no jornalismo: "No rádio, à exceção da BandNews FM que tem muitas mulheres extremamente competentes ancorando jornais, o rádio ainda é muito masculino. Passou da hora de termos mais vozes femininas nos microfones. E o prêmio prova que talentos para isso não faltam no mercado." 

A votação continua até o dia 15 de fevereiro no site do 7° Troféu Mulher IMPRENSA. Qualquer pessoa pode participar e indicar as vencedoras. 
                
                
    Compartilhar     Orkut  
 
Leia mais