Rodrigo Viana

Rodrigo Viana é escritor, jornalista, professor universitário e blogueiro. Especializado em futebol, acumula passagens por emissoras como Record, SBT, Band, TV Cultura, TV Brasil e os jornais Folha de S.Paulo e Lance! www.portalrodrigoviana.com.br

  • Opinião: A TV não sabe brincar de internet

    Não é de hoje que percebo que a mídia televisão tem sentido extrema dificuldade em acompanhar os fenômenos da internet. Frases de redes sociais, brincadeiras virtuais... por mais que tente , a TV fica de fora, salvo quando ela própria é o alvo da piada, da brincadeira, do deboche.

  • Opinião: A disputa entre a notícia e a pseudocelebridade

    Trabalho com jornalismo. Vivo os meus dias conectada e gosto de saber de tudo um pouco. Mas me surpreendo diariamente com o quanto nós, jornalistas, somos especialistas em levar à celebridade pessoas que não têm nada a oferecer. A moça nunca fez nada na vida, senão aparecer dançando de biquíni em um programa de televisão de audiência média. É o suficiente para que muitos - quase todos - os grandes sites de notícias deem à pessoa um grande espaço em suas home pages, com chamadas que deveriam concorrer ao "Pulitzer da vergonha alheia": "Fulana de tal toma sol na praia". Para mim, novidade seria se ela estivesse na praia vestindo uma burca.

  • Opinião: O drible de Neymar e a barriga da imprensa mundial

    Na última quarta-feira (09), estava em casa dando risada do baile que o jovem atacante Neymar Jr., do Santos, deu na mídia nacional, na verdade, na mundial. Perdi as contas de quantas e quantas matérias e notinhas li dando como certa a transferência do jogador para campos espanhóis. Houve veículos que chegaram a afirmar, com todas as letras, que o Real Madrid já estava pagando um valor mensal ao garoto, que anunciou um acordo com o Santos, que o mantém na Vila Belmiro até 2014.

  • Opinião: Protestar agredindo mulher ao vivo é a novidade do momento

    Assisti ontem (31/10) e li hoje (01/11) a agressão sofrida pela repórter Monalisa Perrone, da TV Globo, e o tal pedido de desculpas do fulano que a agrediu. Chamo de fulano porque um carinha que acredita que a melhor forma de protestar contra "veículos de comunicação hegemônicos" é agredir uma mulher - que estava trabalhando - ao vivo, não merece ser nomeado. Isso é dar publicidade a ele.

  • Opinião: Record "dateniza" a cobertura do Pan-2011

    Desde que a Rede Record comprou os direitos exclusivos para televisão no Brasil do Pan-2011, no México, imaginei que seria uma "aventura" acompanhar o evento pela emissora. Não por duvidar da competência dos colegas jornalistas, mas por saber que investir dinheiro não garante, em momento algum, que haverá qualidade no que se deseja transmitir.
  • Opinião: A tosca "ligação" entre Steve Jobs e a Mulher Maçã

    Semana passada, a morte precoce de Steve Jobs, fundador da Apple, repercutiu no mundo inteiro. Jobs, conhecido por seu espírito empreendedor e criatividade, foi o grande responsável por uma "virada", que levou a Apple a alcançar o posto de empresa mais valorizada do mundo neste ano. O falecimento do ex-executivo-chefe da Apple rendeu uma infinidade de matérias, repercussões, vídeos com frases que passaram na TV à exaustão...

  • Opinião: Rafinha Bastos e o "Fator Ronaldo"

    Desde a semana passada, não se fala em outra coisa quando o assunto é televisão: as piadas de mau gosto de Rafinha Bastos, apresentador do "CQC" e do programa "A Liga", ambos na Band, geraram mal estar na cúpula da emissora e o humorista acabou afastado da atração que comanda junto de MarceloTas e Marco Luque.

  • E foi um jornalista que nos devolveu Cartola

    Nesta terça-feira (30/11), a música brasileira lembra os 30 anos de falecimento de Angenor de Oliveira, o cantor e compositor Cartola. A mim, parece estranho esse número, afinal, tenho 30 anos e mesmo sem ter tido tempo de ver Cartola em ação, sei de

  • Liberdade de expressão não é escudo para falta de bom senso

    Na semana passada, as ofensas da estudante de Direito Mayara Petruso aos nordestinos, feitas pelo Twitter, ocuparam os Trending Topics não só na rede de microblogs, mas nos papos informais de botequim, nas filas de banco, se estendendo às análises de

  • Redes sociais são trampolins ou buracos sem fundo?

    As redes sociais são partes fundamentais do trabalho de um profissional de comunicação. Twitter, Facebook, Orkut... quem ainda não aderiu a, pelo menos, uma dessas redes, logo mais vai aderir. Não há nada pior para um jornalista do que se sentir desa

  • O dia em que levei um tapa na cara

    Desde criança, lá em Poços de Caldas (MG), sempre ouvi dizer que não havia humilhação maior do que levar um "tapa na cara". Sempre levei isso a sério, pensando no quão esse tapa poderia doer, não na face, mas na dignidade. Até que no final de Junho,

  • Briga de Dunga não é contra o veículo; é contra a classe

    Tenho acompanhado de perto e atentamente o desenrolar da briga de Dunga com a imprensa, que teve seu ápice - e sua maior repercussão - quando a TV Globo exibiu editorial no "Fantástico" que criticava a postura do treinador, depois que ele, em coletiv

  • Mídia social: troca de ideias ou local de trabalho?

    Há tempos penso no uso das mídias sociais pelas empresas de comunicação. E o nó de pensamentos ficou ainda mais apertado depois da demissão do editor da National Geographic por comentários sobre a revista Veja - ambas publicadas pela mesma editora -

  • A responsabilidade da opinião na internet

    Trabalhar com internet é sinônimo de contato direto e imediato com o consumidor de notícias. Assim que a matéria é postada, imediatamente, os retornos são recebidos. Seja porque a informação interessa, seja pela polêmica de alguma notícia, seja por e

  • Sigamos, então, o exemplo do "BBB"

    Estava em casa, assistindo o capítulo final do "BBB10". Trabalhando com comunicação, internet, usando o Twitter, impossível não se envolver com o tema. Estou certa de que, ao menos um pouco, quase todo mundo sabia alguma história ou conhecia algum pe