O GSC congratula a Austrália pelo uso de avaliação baseada em risco de siloxanos

WASHINGTON, 9 de julho de 2018 /PRNewswire/ -- Membros do Global Silicones Council (GSC) deram as boas-vindas a uma nova avaliação de risco australiana para uma variedade de materiais de silicone, incluindo D4, D5 e D6. A avaliação do Departamento de Meio Ambiente e Energia da Austrália conclui que "os riscos diretos à vida aquática pela exposição a esses produtos químicos nas concentrações esperadas na superfície da água provavelmente não serão significativos". Dessa forma, a Austrália não propôs nenhuma restrição regulatória ao uso de qualquer um dos materiais.

Global Silicones Council | 09/07/2018 19:48

WASHINGTON, 9 de julho de 2018 /PRNewswire/ -- Membros do Global Silicones Council (GSC) deram as boas-vindas a uma nova avaliação de risco australiana para uma variedade de materiais de silicone, incluindo D4, D5 e D6. A avaliação do Departamento de Meio Ambiente e Energia da Austrália conclui que "os riscos diretos à vida aquática pela exposição a esses produtos químicos nas concentrações esperadas na superfície da água provavelmente não serão significativos". Dessa forma, a Austrália não propôs nenhuma restrição regulatória ao uso de qualquer um dos materiais.

"O Global Silicones Council apoia o compromisso do governo australiano de usar uma avaliação baseada em risco de produtos químicos e sua conclusão de que esses materiais de silicone não representam riscos para o meio ambiente", disse Karluss Thomas, diretor executivo do GSC. "A conclusão australiana é mais uma validação de que os siloxanos não são encontrados no meio ambiente em concentrações que mereceriam restrições regulatórias".

A avaliação da Austrália concentrou-se em uma série de siloxanos, incluindo D3, D4, D5, D6, D7 e ciclometicone. A avaliação da Austrália de D4, D5 e D6 é consistente com as decisões de gestão de risco e avaliação do Canadá para esses três materiais e contrasta com as recentes decisões dos reguladores da UE de defender restrições aos produtos, que não consideram totalmente o corpo de evidências científicas. A indústria de silicone sustenta que as avaliações regulamentares de segurança devem ser realizadas de maneira coerente com o consenso na comunidade científica, que há muito tempo defende que a consideração da exposição ambiental e do uso do peso da evidência (WoE) é necessário para avaliar completamente o comportamento dos siloxanos no meio ambiente.

"A avaliação da Austrália mais as avaliações regulatórias completas para o D4, D5 e D6 no Canadá demonstram que as substâncias podem ser usadas com segurança e que as restrições aos produtos são desnecessárias", disse Thomas. "Pedimos que os reguladores do mundo todo olhem para a Austrália e o Canadá como modelos para o uso de avaliações químicas baseadas em risco que considerem o peso das evidências, particularmente para produtos químicos cujas propriedades únicas significam que os critérios tradicionais são inadequados para prever comportamentos na vida real".

D4, D5 e D6 são blocos de construção críticos usados para produzir ampla gama de polímeros de silicone que fornecem características exclusivas de desempenho do produto que geram inovação em milhares de produtos que beneficiam segmentos centrais da economia global, incluindo: transporte, construção, cuidados de saúde, tecnologias alternativas de energia e eletrônica. Nesses setores, há poucos, se existir algum, substitutos satisfatórios aos polímeros de silicone.

Para saber mais, visite http://globalsilicones.org/.

O Global Silicones Council (GSC) é uma organização internacional sem fins lucrativos, que representa empresas que produzem e vendem produtos de silicone no mundo todo. O GSC reúne todos os principais fabricantes globais através das três Associações Regionais da Indústria do Silicone na América do Norte (Silicones Environmental, Health, and Safety Center - SEHSC), Europa (Silicones Europe - CES) e Japão (Silicones Industry Association of Japan - SIAJ) e incentiva a cooperação e colaboração entre eles.

O objetivo do GSC é promover o uso seguro e a administração do silicone globalmente. Para cumprir sua missão, o GSC realiza as seguintes atividades:

  • monitorar as atividades ambientais, de saúde e segurança das três Associações Regionais da Indústria do Silicone (RSIAs) e coordenar tais atividades em uma base global;
  • promover de forma proativa a comunicação do setor com órgãos reguladores do mundo todo e com organizações internacionais de meio ambiente, saúde e segurança, como a Organização Mundial da Saúde, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico e as Nações Unidas;
  • por meio das RSIAs, identificar e antecipar oportunidades para melhorar a pesquisa sobre meio ambiente, saúde e segurança relacionadas ao silicone e participar em projetos globais para comunicar o compromisso da administração do produto do setor;
  • através das RSIAs, patrocinar projetos para melhorar a compreensão do público sobre os benefícios e a segurança do silicone.

Logo - https://mma.prnewswire.com/media/716136/GSC_Logo.jpg

 

FONTE Global Silicones Council