Governo avalia a ampliação de tratamento para câncer renal

SÃO PAULO, 11 de outubro de 2018 /PRNewswire/ -- O câncer de rim é uma doença silenciosa, que não costuma apresentar sintomas em suas fases iniciais, fazendo com que muitos pacientes descubram o tumor por acaso - ao fazer um exame de imagem durante um check-up de rotina ou para investigar outras suspeitas. Com isso, grande parte dos diagnósticos é feito com a doença em estágio avançado ou metastático (índice ultrapassa os 90%)(1), quando as chances de cura são menores.

Novartis | 11/10/2018 18:07

SÃO PAULO, 11 de outubro de 2018 /PRNewswire/ -- O câncer de rim é uma doença silenciosa, que não costuma apresentar sintomas em suas fases iniciais, fazendo com que muitos pacientes descubram o tumor por acaso – ao fazer um exame de imagem durante um check-up de rotina ou para investigar outras suspeitas. Com isso, grande parte dos diagnósticos é feito com a doença em estágio avançado ou metastático (índice ultrapassa os 90%)1, quando as chances de cura são menores.

A cirurgia costuma ser indicada para casos nos quais o tumor é diagnosticado precocemente. Já nos casos avançados, com a presença de metástase em outros órgãos, o tratamento costuma ser mais difícil. "Os tumores de rim não costumam responder bem aos tratamentos oncológicos convencionais, como quimioterapia e radioterapia. Assim, o mais importante é amenizar os sintomas e retardar as complicações. Para isso, é essencial optar por uma medicação oral que seja eficaz, mas que também tenha boa tolerabilidade, prezando pela qualidade de vida do paciente", afirma Fernando Maluf, oncologista clínico e um dos fundadores do Instituto Vencer o Câncer.

A Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (CONITEC) acaba de abrir uma consulta pública para discutir a incorporação do Pazopanibe, medicamento que age para diminuir e interromper o crescimento de células cancerígenas, ou mesmo destruí-las, em alguns tipos de câncer de células renais em estágio avançado e/ou metastático. "Esse tipo de medicamento age em alvos que estimulam o crescimento de células e dos vasos sanguíneos. Por ser pílulas, o Pazopanibe é mais fácil de ser administrado do que infusões de quimioterapia", explica o especialista.

As contribuições da sociedade civil podem influenciar a recomendação final da instituição. A avaliação é então encaminhada para a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, responsável pela decisão final de incorporar ou não o medicamento ao SUS.

A consulta pública está aberta para contribuições da sociedade civil até 29 de outubro no site http://conitec.gov.br/consultas-publicas, sob o nome "Cloridrato de pazopanibe e malato de sunitinibe para carcinoma de células renais metastático", consulta número 54.

Sobre a Novartis

A Novartis oferece soluções inovadoras de saúde que atendem às necessidades em constante evolução dos pacientes e da sociedade. Sediada na Basileia, Suíça, a empresa oferece um diversificado portfólio a fim de melhor atender a essas demandas: medicamentos inovadores, genéricos, biossimilares e produtos para cuidados com os olhos, tendo posições de liderança global em cada uma dessas áreas. Em 2017, o Grupo alcançou vendas líquidas de US$ 49,1 bilhões, com investimentos de aproximadamente US$ 9 bilhões em P&D. As empresas do Grupo Novartis empregam cerca de 125 mil colaboradores e seus produtos estão presentes em mais de 155 países ao redor do mundo. Para mais informações, acesse www.novartis.com.br.

Referências

1. Bergerot, Paulo G. Assessment of Treatment Patterns for Metastatic Renal Cell Carcinoma in Brazil. Journal of Global Oncology. Disponível em www.jgo.org. Último acesso em 26.02.2018.

Informações para a imprensa 

Nahia Rosa
Nahia.rosa@edelman.com
55 11 3060-3124

Mayara Souza
mayara.souza@edelman.com  
55 11 3060-3376

FONTE Novartis