Google e Facebook cortam receitas publicitárias em sites de notícias falsas

Redação Portal IMPRENSA | 17/11/2016 15:30
O Google e o Facebook adotaram medidas para cortar a receita de publicidade de sites com informações falsas depois de uma onda de críticas sobre a eventual influencia que notícias equivocadas exerceram na eleição de Donald Trump nos EUA.

Crédito:Divulgação

De acordo com a AFP, a medida das empresas, que têm gerência sobre grande parte do fluxo de publicidade na internet, deve mexer economicamente com uma indústria que se alimenta de informações sensacionalistas e, muitas vezes, falsas.

Em comunicado, o Google informou que passará a proibir publicidade em conteúdos enganosos. "No futuro, vamos restringir a veiculação de anúncios em páginas que deturpam, distorcem ou escondem informações sobre seus editores, conteúdos ou o objetivo básico do proprietário do site", acrescentou.

O Facebook deve trabalhar com a mesma política. "Nós não integramos nem exibimos publicidade em aplicativos ou sites de conteúdo ilegal, enganoso ou mentiroso", destacou a empresa, também em um comunicado.

Leia também: