Funcionários de jornal pró-curdo podem pegar prisão perpétua na Turquia

Redação Portal IMPRENSA | 11/11/2016 11:30
Funcionários do jornal turco Ozgur Gundem e a escritora Asli Erdogan podem pegar longas sentenças prisionais ou, até mesmo, prisão perpétua, por acusações de pertencerem a uma organização terrorista e ferirem a unidade nacional.

Crédito:Divulgação

De acordo com a Reuters, Asli, que não tem parentesco com o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, foi detida em agosto e espera julgamento. Ela foi presa junto a funcionários do veículo, fechado por ordem judicial por acusações de disseminação de propaganda militante do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

A agência estatal Anadolu informou que, na acusação, promotores buscaram prisão perpétua e sentenças de até 17 anos para nove suspeitos, que seriam jornalistas e diretores do Ozgur.
 
Leia também: