RSF alerta sobre situação da liberdade de imprensa na Turquia

Redação Portal IMPRENSA | 03/11/2016 13:30
A Organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) alertou para a situação da liberdade de imprensa na Turquia. O governo do país prendeu mais de 200 jornalistas e fechou mais de 120 órgãos de imprensa desde a tentativa de golpe, em julho.

Crédito:Reprodução/RSF

Em um relatório divulgado na última quarta-feira (2/11), a entidade denunciou o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, pelo tratamento dado aos jornalistas depois da prisão de mais de 200 profissionais e o fechamento de mais de 120 órgãos de imprensa.

A ONG destaca que Erdogan aprecia que os órgãos de imprensa de seu país adotem uma postura "submissa e dócil" e que exaltem as políticas de seu governo. A RSF afirma que o líder esconde seu totalitarismo agressivo "sob uma fachada de democracia".

Dos mais de 200 profissionais de imprensa presos, 125 ainda estão sob custódia das autoridades. Ao menos 124 órgãos de imprensa foram fechados por decreto. Na semana passada, o jornal de oposição Cumhuriyet foi alvo de uma batida policial que resultou na prisão de 13 funcionários.

Além de Erdogan, a RSF destaca 35 líderes internacionais e organizações classificadas como "inimigos da liberdade de imprensa". A entidade cita o rei Salman da Arábia Saudita, os presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e do Burundi, Pierre Nkurunziza, os líderes da China, Xi Jinping, da Rússia, Vladimir Putin, e norte-coreano, Kim Jong-un.

Leia também: