Repórter da RFI responde na Justiça por não colaborar com autoridades sobre Boko Haram

Redação Portal IMPRENSA | 04/08/2016 12:00
Começou, na última quarta-feira (3/8), o julgamento do jornalista Ahmed Abba, correspondente da Radio France International (RFI), detido desde o ano passado no Camarões e acusado de não colaborar com as autoridades sobre o grupo extremista nigeriano Boko Haram.
Crédito:rerodução
O jornalista foi preso em 30 de julho do ano passado e pode ser condenado à morte caso seja declarado culpado.
De acordo com a AFP, o júri ocorre após um pedido da presidente da RFI, Marie-Christine Zaragoz, que "implorou" para que as autoridades de Yaoundé, onde o caso é avaliado, para "acabar com o pesadelo do repórter, que presta serviços para a emissora em Maroua, capital do extremo norte de Camarões.

A Organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) também pediu pela "libertação imediata" do jornalista. A entidade classificou a detenção como "arbitrária e abusiva". O jornalista foi preso em 30 de julho do ano passado e pode ser condenado à morte caso seja declarado culpado.

Marie-Christine informou que Abba "foi preso pela primeira vez em segredo, e foi submetido a tortura". O defensor do jornalista acredita que o julgamento quer atingir a rádio pública francesa, muito escutada na África, e sua cobertura em Camarões.

Leia também: