Capa de "Charlie Hebdo" acusa o técnico da seleção francesa de racismo

Redação Portal IMPRENSA | 09/06/2016 16:30
A capa da nova edição da revista satírica Charlie Hebdo acusa o técnico da seleção francesa de futebol, Didier Deschamps, de racismo. Em tom de humor, a publicação diz que ele não convocou o boxeador Muhammad Ali para a Eurocopa 2016, que começa na próxima sexta-feira (10/6).

Crédito:Reprodução
Revista denunciou racismo de técnico, mas foi atacada pelos leitores

Segundo a ESPN, o veículo utilizou a imagem de Ali, que é negro e muçulmano, para fazer uma alusão à não convocação de jogadores de origem norte-africana, como Karim Benzema e Ben Arfa. A revista não é a primeira a acusar Deschamps de racismo. O ex-jogador Eric Cantona também havia dito que os jogadores teriam ficado fora da competição por questões raciais.

Na charge da capa, Ali aparece dentro de um caixão, com lutas de boxe e jogando futebol, o que gerou indignação de parte da população islâmica da França. Várias pessoas se manifestaram nas redes sociais e no site do veículo com comentários negativos.

Alguns internautas, inclusive, chegaram a pedir um novo atentado contra a redação da revista. "Eles não respeitam ninguém. Na vida, você tem o que você merece. Uma nova punição não seria ruim para eles".


Leia também
Capa de "Charlie Hebdo" que critica diretor brasileiro por protesto em Cannes é falsa
Imprensa belga responde capa polêmica de "Charlie Hebdo" sobre atentado
"Charlie Hebdo" provoca nova polêmica com capa sobre os atentados de Bruxelas