Jornalista é assassinado a tiros no México; quinta morte na imprensa local em 2016

Redação Portal IMPRENSA | 27/04/2016 12:00


O jornalista mexicano Francisco Pacheco Beltrán foi assassinado na última segunda-feira (25/4), em Taxco, no estado de Guerrero, por volta das 6h30 (horário local), quando chegava em casa, após deixar a filha em um terminal de ônibus. Ele era correspondente do jornal El Sol de Acapulco, editor do El Foro de Taxco e diretor do portal “Pacheco digital”.


Crédito:Reprodução
Jornalista não tinha recebido ameaças antes de ser morto


Segundo a imprensa mexicana, Beltrán foi atingido por tiros disparados por um homem que fugiu do local. O jornalista chegou a ser socorrido por uma ambulância, mas morreu minutos após o ataque.


Com 25 anos de carreira, amigos revelam que Beltrán não tinha recebido ameaças. Ele cobria diversas editorias, como polícia, esporte e eventos sociais. No entanto, indicam que o jornalista era crítico das administrações municipais.


Até o momento, a Procuradoria de Guerrerno não avançou nas investigações sobre o assassinato.  Francisco Pacheco Beltrán é o quinto jornalista assassinado no México só neste ano.


A Comissão de Direitos Humanos do Distrito Federal (CDHDF) condenou o assassinato de Beltrán. Em comunicado, a entidade lembrou que depois dos estados de  Veracruz e Oaxaca, Guerrero está entre os locais mais perigosos para o exercício do jornalismo. "Já foram assassinados dez jornalista há mais de uma década [em Guerrero] e um ainda está desaparecido", diz a nota.


Leia também

- Jornalista é morto a facadas no México; quarto profissional assassinado em 2016
- Ataques contra jornalistas aumentaram quase 22% no México, diz entidade
- RSF revela deterioração da liberdade de imprensa e denuncia corrupção no Brasil