Jornalista holandesa é detida após criticar presidente turco no Twitter

Redação Portal IMPRENSA | 25/04/2016 10:00


No último domingo (24/4), a jornalista turca Ebru Umar foi detida em sua residência, na costa oeste da Turquia, após publicar um tuíte reprovando o presidente Recep Tayyip Erdogan.


Crédito:Reprodução/Twitter
Jornalista criticou Erdogan na rede social e foi presa em casa

De acordo com a Deutsche Welle, a repórter passa a integrar a lista de mais de dois mil processos contra críticos do governo, que inclui artistas e intelectuais. A prisão de Ebru foi anunciada por ela na rede social. "A polícia está na porta. Não é brincadeira". Ela também escreveu recentemente um artigo crítico a Erdogan, que foi publicado no diário holandês Metro.


Fontes do blog holandês Geenstijl afirmam que, em mensagem de texto, a jornalista informou que será levada a tribunal nesta segunda-feira (25/4). Ainda de acordo com ela, o conteúdo de seus tuítes foram denunciados em um serviço de disque-denúncia criado pelas autoridades turcas.


A repercussão da prisão de Ebru fez com que a  hashtag #freeebru (libertem Ebru) ganhasse destaque nas redes sociais na Holanda. O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, disse que a embaixada na Turquia está em contato com a jornalista.


O Ministério do Exterior holandês afirma que acompanha o caso de perto e que está em contato as autoridades na Turquia.


Leia também


- "Não se pode silenciar a imprensa", diz ex-editor de jornal turco que sofreu intervenção
- Correspondente de TV pública alemã é detido em aeroporto na Turquia
- Humorista alemão suspende programa após abertura de processo da Turquia