WikiLeaks questiona sigilo de informações do caso "Panama Papers"

Redação Portal IMPRENSA | 07/04/2016 12:00
O WikiLeaks, site do australiano Julian Assange e responsável pelo vazamento de milhares de documentos confidenciais na internet, questionou na última quarta-feira (6/4) a administração dos dados no escândalo "Panama Papers".

Crédito:Reprodução
WikiLeaks quer acesso aos documentos do Panama Papers

"Ao censurar mais de 99% dos documentos, vocês estão empenhados em apenas 1% de jornalismo", escreveu a plataforma em seu perfil no Twitter. O site também iniciou uma pesquisa perguntando se os usuários da rede social acreditavam que os arquivos deveriam ser disponibilizados online e na íntegra.

Em entrevista à Wired, o diretor do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ), Gerald Ryle, reforçou que os documentos não serão publicados. "Não somos o Wikileaks. Tentamos mostrar que o jornalismo pode ser feito de maneira responsável".

À emissora russa RT, a porta-voz do Wikileaks e jornalista investigativa islandesa, Kristinn Hrafnsson, discordou da decisão do ICIJ. "Eles [Panama Papers] devem ser disponibilizados ao público geral, de modo que todos, e não apenas o grupo de jornalistas que trabalha diretamente com os dados, possam analisá-los", explicou.

Leia também