"Guardian" anuncia reestruturação e cem funcionários devem ser demitidos

Redação Portal IMPRENSA | 26/01/2016 15:45
O Guardian Media Group, responsável pela publicação do diário britânico The Guardian, anunciou um plano de reestruturação que visa reduzir em 20% os custos de produção do jornal. Aproximadamente 100 funcionários devem ser demitidos.

Crédito:Wikimedia commons
Jornal passa por problemas para arrecadar verba publicitária

Segundo o site Business Insider, a empresa afirma que a reestruturação visa evitar que o jornal, conhecido por grandes reportagens, como a revelação do esquema de espionagem da NSA denunciada por Edward Snowden, quebre nos próximos três anos.

David Pemsel, presidente-executivo do grupo, defende o plano. "Contra o pano de fundo de um mercado volátil, estamos tomando medidas imediatas para aumentar as receitas e reduzir nosso custo base, a fim de salvaguardar ao Guardian um jornalismo em perpetuidade"

Atribui-se à crise do jornal a abertura de escritórios nos Estados Unidos e na Austrália, a construção de um site muito popular, lido por mais de 130 milhões de usuários únicos mensais, além da queda na arrecadação na venda de espaços publicitários. 

Em razão desses pontos, os custos do Guardian Media Group teriam subido 23% em cinco anos, enquanto as receitas não acompanharam este volume. Atualmente, a empresa emprega 1.960 funcionários, dos quais cerca de 100 devem ser dispensados.