SIP repudia mortes de jornalistas no Brasil e na Colômbia

Redação Portal IMPRENSA | 26/11/2015 09:00
A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) repudiou na última quarta-feira (25/11) os assassinatos de jornalistas no Brasil e na Colômbia e ainda cobrou que as autoridades esclareçam os crimes.

Crédito:Reprodução
Ítalo Diniz, Dorance Herrera e Roberto Lano foram assassinados

Segundo a AFP, o encarregado da liberdade de expressão da SIP, o uruguaio Claudio Paolillo, manifestou sua "extrema preocupação diante da escalada de assassinatos no Brasil". Ele pediu às autoridades "que investiguem com urgência e impeçam que os [indivíduos] violentos imponham as regras do jogo em seu país".

A entidade lembrou da morte de Orislandio Timóteo Araújo, de 37 anos, conhecido como Roberto Lano, assassinado com um disparo na cabeça quando andava de moto com a mulher, no último sábado (21/11), na cidade de Buriticupu, no Maranhão.

De acordo com a SIP, o repórter é o terceiro jornalista assassinado no país em duas semanas. Outro caso recente ocorreu no dia 13 deste mês, quando o blogueiro Ítalo Diniz, de 30 anos, morto após ser atingido por três tiros disparados de uma moto, em Governador Nunes Freire, no extremo norte do MA.

Já na Colômbia Dorance Herrera, de 28 anos, foi morto a tiros na última segunda-feira (23/11), em Caucasia, no noroeste do país. Ele prestava serviços para um jornal regional, no qual trabalhava numa matéria investigativa sobre grupos criminosos que operavam na região. O jornalista já havia denunciado ameaças de morte no passado.

Leia também