ONG denuncia agressões a jornalistas durante protestos na Ucrânia

Redação Portal IMPRENSA | 31/01/2014 17:30
A organização internacional Human Rights Watch (HRW) denunciou, nesta sexta-feira (31/1), que dezenas de jornalistas e médicos foram alvo de ataques policiais durante as manifestações em Kiev, capital da Ucrânia, entre os dias 19 e 22 de janeiro.

Segundo a Exame, o site da organização informou que foram documentados 13 casos de repressão policial com o uso de cassetetes, balas de borracha e granadas contra profissionais da imprensa e da saúde. Outras ONGs ucranianas registraram cerca de 60 casos do tipo.

"É possível ferir um jornalista ou um médico por distração durante enfrentamentos com violência, mas não dezenas", assegurou a subdiretora de programas e emergências da HRW, Anna Neistat. "A polícia enfrentou sérios desafios durante os distúrbios, mas não é desculpa para ataques premeditados contra repórteres e médicos e nem para não se preocupar e se proteger."

Os violentos protestos acontecem nas ruas de Kiev há pouco mais de dois meses, depois que o presidente ucraniano, Viktor Yanukovich, adiou a assinatura do Acordo de Associação com a União Europeia prevista para o fim de novembro de ano passado.

Leia também