5º Fórum AIDS debate papel da imprensa na cobertura da saúde

Redação Portal IMPRENSA | 19/12/2017 07:43


“Folia é pauta para a imprensa falar de saúde?” foi o tema debatido durante a primeira mesa de discussão do 5º Fórum AIDS e o Brasil, realizado na sexta-feira (15) pela Revista e Portal IMPRENSA, em parceria com o Ministério da Saúde e o curso de jornalismo da ESPM de São Paulo, e apoio do UNAIDS.
Crédito: Gisele Sotto
Participaram do painel a youtuber Jana Viscardi, Juny Kraiczyk, da AIDS Healthcare Foundation, Nathan Fernandes, da Revista Galileu e Sinval Leão, da Revista e Portal IMPRENSA. Eles debateram sobre de que maneira o jornalismo pode falar de saúde na época de festas e na hora da diversão. E o desafio de reverter a percepção do jornalista como um "estraga prazer" ao abordar questões como violência, saúde, e riscos numa pauta positiva.

Juny Kraiczyk iniciou o papo dizendo que para uma cobertura responsável sobre HIV é preciso falar sobre gênero. “A gente não respeita o outro, mas precisamos falar e ter respeito ao outro. Temos que lembrar o que sustenta o HIV: o machismo, racismo, homofobia, gênero. Temos que parar de hipocrisia, ninguém transa só porque vê uma camisinha”, apontou. 

Para Nathan Fernandes, da Revista Galileu, o tema precisa ser debatido sob outra ótica. “As primeiras notícias difundiram o medo. A gente ainda fala do medo. Mas é preciso pensar em reportagens sociais e não somente da editoria de saúde”, disse.

Já na visão de Sinval Leão, o jornalismo precisa ser enfático, mas há formas distintas de tratar o tema. “É preciso debater o tema não somente nas festas. As pautas nas redes sociais se humanizam. O jornalismo trabalha com o contraditório e tem na essência a linguagem, é preciso tratar de forma menos burocrata”, falou.  

Jana Viscardi chama atenção para uma falha na comunicação. "Um ponto que me incomoda é a ênfase no 'Use camisinha' apenas para a prevenção da aids. Ninguém está falando de sífilis, gonorreia e outras doenças que estão aí. Também não concordo com a demonização de uma enfermidade [aids] com a qual as pessoas hoje vivem e convivem", afirma a youtuber.

Veja um trecho do debate:


O evento contou ainda com as presenças de Brunna Valin, do Centro de Referência e Defesa da Diversidade; Diego Callisto, do Ministério da Saúde; Tulio Bucchioni, da ONG Viração; Alexandre Magno, do Ministério da Saúde; André Canto, do Projeto Olhares, HIV e AIDS no Brasil; Silvia Almeida, do UNAIDS; e Letícia Bahia, do projeto AzMina. 

O 5º Fórum AIDS teve transmissão ao vivo pelo Portal IMPRENSA e contou também com a participação de internautas, que fizeram perguntas aos convidados por meio de chat online.

Perdeu a discussão? Então acompanhe a cobertura completa de tudo que aconteceu no 5º Fórum AIDS e o Brasil pelo Portal IMPRENSA e pelo site www.portalimprensa.com.br/forumaids.

Saiba mais: