Comunicação do Flamengo proíbe jornalista de fazer perguntas em coletiva

Redação Portal IMPRENSA | 02/10/2017 08:42

Após desentendimentos, "O Globo" anunciou o encerramento da coluna de Antonio Tabet, vice-presidente de comunicação do clube carioca

Crédito:Staff Images
Durante a coletiva de imprensa do Flamengo na sexta-feira (29), o repórter Diogo Dantas do “Extra” e do "O Globo" foi proibido de formular perguntas ao técnico do clube, Reinaldo Rueda. Em comunicado, o Flamengo informou que a decisão de proibir perguntas do jornal foi “institucional e não pessoal”. A informação inicial dava conta que a medida partiu do jornalista e humorista Antonio Tabet, vice-presidente de comunicação do clube. 

“O jornal ‘Extra’, de maneira ininterrupta, tem difamado o Clube de Regatas do Flamengo. Diferente de outros veículos, muitas matérias publicadas no jornal ultrapassam a crítica e insistem num inadequado tom jocoso. Até o editorial, espaço mais nobre e sério da publicação, já estampou deboche em relação a profissionais do clube”, afirma a nota do clube.

“Como este comportamento não condiz com o jornalismo praticado por outros veículos no dia-a-dia do clube, o Flamengo se reserva o direito de não atender às demandas exclusivas do jornal. (...) E, apesar dela, o ‘Extra’ segue tendo acesso às dependências do clube e podendo participar de entrevistas coletivas normalmente.”, segue o comunicado.

A Associação de Cronistas Esportivos do Rio de Janeiro (ACERJ) repudiou a atitude da diretoria do Flamengo de proibir Dantas de exercer seu ofício. “Tal procedimento é um ato de censura que se contrapõe aos procedimentos de uma administração que se proclama moderna e de vanguarda, e em nada contribui para as boas relações clube/imprensa, preceito que a Diretoria da ACERJ prega. Aliás, desde o início de nossa gestão, em abril de 2017, vimos solicitando um encontro da Diretoria da ACERJ com a Diretoria do Flamengo, que vem sendo protelado pelo clube. Encontros que já fizemos com as Diretorias do Botafogo e do Vasco e que foram esclarecedoras e produtivas. O Flamengo sempre foi, ao longo da história, um exemplo de respeito à liberdade de imprensa, mas a atitude de hoje mancha essa trajetória.”, diz a nota. 

No domingo (1.º), Tabet utilizou sua coluna na editoria de política do “O Globo” para criticar a postura do “Extra”, que pertencem ao mesmo grupo. Entre outras críticas o VP apontou que os jornalistas não apuravam a notícia. “O dirigente sou eu e, como Vice-Presidente de Comunicação do Flamengo, lido com jornalistas esportivos com frequência. Conheci gente muito boa, séria e responsável, como Carlos Gil, Arnaldo Ribeiro, Amanda Kestelman, Gabriela Moreira, Eric Faria, Paulo Vinicius Coelho e outros tantos cujos nomes encheriam essa página. Mas há uns do 'Extra' também", diz o texto. 

“Os editores do jornalismo ‘Nutella’, da geração que, só por ter uma rede social, acha que se formou em Nelson Rodrigues na faculdade da vida. Ou pior, os pseudoapuradores que ordenham pauta em grupinhos de WhastApp e tratam dedução como se fosse verdade”, continua a coluna. 

No rodapé do texto de Tabet, “O Globo” afirmou que descontinuaria sua participação no jornal. "O humorista Antonio Tabet, vice-presidente de comunicação do Flamengo, levou a sério (as brincadeiras feitas com Muralha). Mas, no dia em que o jornal retratou críticas da torcida a Tabet, o clube, em retaliação, decidiu impedir que um repórter do Extra e também do Globo fizesse perguntas durante uma entrevista coletiva, num ato de cerceamento de acesso à informação. Tabet usou a coluna publicada acima, na editoria de Política, para tratar de assunto relacionado à sua atividade no clube, como já fizera em outra oportunidade. Por essa razão, O Globo decidiu interromper sua participação neste espaço", disse o jornal.

Em sua conta no Twitter, Tabet afirmou que não havia vínculo com o “O Globo”. “Esclarecimentos: nunca fui funcionário do jornal. Há um contrato em vigor com direitos e deveres para ambas as partes. Apesar da coluna estar na editoria "Política", nunca foi um problema abordar outros temas. Até ontem. a coluna voltará a ser escrita em outro espaço. Vocês saberão. Terminados os esclarecimentos, já podemos todos voltar ao normal e discutir, com embasamento, temas como liberdade de expressão, certo?”, afirmou.  

Na sexta-feira, também pelo microblog, Diogo Dantas se posicionou. “O @antoniotabet proibiu a mim de fazer pergunta, segundo a assessoria do Flamengo. Agradeço as mensagens de torcedores, leitores e colegas depois do episódio de hoje. Vou deixar registrada aqui minha pergunta: Rueda, o que você acha do controle emocional do elenco do Flamengo em momentos decisivos?”, comentou.