Rede TV, SBT e Record retornam para a Sky; Net e Claro recuaram da proposta

Redação Portal IMPRENSA | 01/09/2017 13:35
A representante dos canais abertos, Simba Content, joint-venture chegou a um acordo financeiro com a operadora a cabo Sky para voltar a exibir a programação das emissoras.  Em breve, os assinantes já terão acesso à grade de programas, segundo anunciou o Estadão. 

Crédito:Divulgação

Cinco meses após a interrupção da distribuição dos sinais, o contrato prevê que a Sky pague à joint-venture um valor fixo por assinante para a distribuição dos sinais Simba. O valor solicitado inicialmente rondava R$15,00, proposta que as emissoras rejeitaram. Com o acordo assinado, a Sky deve repassar a quantia de R$0,90 e R$1,00 por assinante. As negociações foram conduzidas por Ricardo Miranda, ex-presidente da operadora. 

O embate entre as partes aconteceu porque, de acordo com a lei que regulamenta o serviço de TV paga, é dever das operadoras oferecer canais abertos aos assinantes. Com o desligamento do sinal analógico, no entanto, o compromisso passou a ser facultativo e passa pela autorização de cada emissora,   

Em março, Rede TV, SBT e Record, todas representadas pela Simba, não aceitaram a remuneração oferecida pelas operadoras. Na época, as empresas alegaram que parte da audiência dos canais à cabo se davam por conta de suas produções. Somente a Vivo, além da Sky, fez acordo com as emissoras. Claro e Net recuaram e as negociações continuam. Em maio, Miranda foi contratado pela Simba a fim de reforçar o contato com as operadoras e desfazer o imbróglio. 

Saiba mais: