Jornalista José Roberto Burnier ganha ação indenizatória contra coordenador do MBL

Redação Portal IMPRENSA | 06/06/2017 12:06

Um dos três coordenadores do Movimento Brasil Livre (MBL), Renan Antônio Ferreira dos Santos foi condenado a pagar R$ 20 mil de indenização a José Roberto Burnier, repórter da Rede Globo. O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) decidiu em segundo instância uma ação de danos morais, que ainda cabe recurso.

Crédito:Reprodução

De acordo com informações do UOL, Burnier alega que foi alvo de campanha difamatória durante o curso do impeachment da presidente Dilma Rousseff – jornalista trabalhou na cobertura do processo de impedimento, concluído em agosto de 2016. O processo diz que havia a “intenção de abalar a sua credibilidade, ferir sua dignidade e decoro e inibir a sua isenta atuação profissional”.


Santos chamou Burnier de “esquerdista global de joelhos para o PT” e “uma prostituta, oferecendo seus serviços para a presidente Dilma Rousseff”. Há também uma montagem em que o jornalista se passa por uma prostituta que oferece seus serviços a Dilma, mas o coordenador do MBL diz no processo que a foto não é de autoria dele e que não menciona Burnier nos vídeos veiculados pela página do movimento. 


Saiba mais: 

Repórter da Globo é criticado após piada com acidente de Angélica em entrevista

“Existe um boicote”, diz líder do Movimento Brasil Livre sobre cobertura da imprensa

Jornalistas são hostilizados durante protestos a favor do impeachment em São Paulo