"Achei que era um sonho", diz jornalista sobre tragédia com voo da Chapecoense

Redação Portal IMPRENSA | 12/12/2016 09:30
Em entrevista ao "Fantástico" do último domingo (11/12), o jornalista Rafael Henzel, um dos seis sobreviventes do voo que levava a delegação da Chapecoense, contou detalhes sobre o acidente e o primeiro encontro com a família.

Crédito:Reprodução/Facebook

Ao repórter José Roberto Burnier, Henzel relatou que estava em uma poltrona na parte traseira do avião. "Eu estava à direita, no penúltimo banco, no banco do meio", explicou. Ao lado dele, estavam o colega Renan Agnolin, também da rádio Oeste Capital, e o cinegrafista Djalma Araújo Neto, da RBS TV. Eles não sobreviveram ao acidente.

"A gente perguntava para os comissários: quanto faltava? Dez minutos. De repente, desligaram as luzes do avião. Desligaram os motores. E aí todo mundo voltou pro seu assento e... colocou o cinto. A hora em que isso aconteceu causou um certo temor. Mas ninguém, ninguém imaginaria que a gente bateria naquele morro", disse.

Segundo o jornalista, ninguém avisou aos passageiros o que estava acontecendo, mas ele reparou na aflição dos comissários de bordo. Apesar do temor, ele diz não recordar de ter havido pânico no avião. "Um silêncio assim, estarrecedor. A gente não sabia o que estava acontecendo. Até que veio o choque".

Henzel acordou sete horas depois do acidente. "Primeiro achei que era um filme. Achei que era um sonho. E que ia despertar logo desse sonho. Comecei a observar que vinha gente com algumas luzes, os socorristas. E aí eu comecei a gritar. Comecei a chamar por socorro, dizendo que eu estava ali".

Os dois colegas da imprensa que estavam ao lado dele continuavam perto, mas não respondiam. "Foi mais impactante ainda porque as duas pessoas que estavam do meu lado... estavam sem vida. 10 centímetros pra cá, 10 centímetros pra lá... o resultado poderia ser bem diferente", relatou.

O radialista afirmou que viu imagens dos destroços do avião e não sabe como sobreviveu.  "Eu imagino duas coisas. Primeiro, que houve um milagre. E, o segundo foi de eu ter despertado no segundo em que os socorristas estavam passando".

Assista ao vídeo neste link.

Leia também: