"Tivemos verdadeiras aulas de jornalismo", dizem autoras de livro sobre IMPRENSA

Alana Rodrigues | 29/09/2016 17:00
Como parte das comemorações de seus 30 anos, IMPRENSA divulgará trabalhos de faculdade que tiveram a revista como tema. Um deles é o livro-reportagem "A IMPRENSA de olho na imprensa", escrito pelas jornalistas Giandrea Frítoli e Karina Monteiro, em 2007, quando a publicação completava 20 anos.

Na obra, pioneira sobre o assunto, as jornalistas resgatam as histórias, as mudanças, os marcos, a cobertura, além de declarações de pessoas que acompanharam a revista. À IMPRENSA, as autoras contaram os bastidores da produção. Confira a entrevista:

Crédito:Arquivo Pessoal
Jornalistas Karina Monteiro e Giandrea Frítoli escreveram livro-reportagem sobre a Revista IMPRENSA

IMPRENSA: Em que ano o TCC foi feito?
Giandrea Frítoli e Karina Monteiro: O TCC foi feito durante o ano de 2007. Demos início ao Projeto apresentando nossas propostas e defendendo o tema. Após aprovação, começamos os trabalhos para a produção do livro reportagem. O trabalho foi composto por cerca de 30 entrevistas com jornalistas atuais e antigos que passaram pela IMPRENSA, além de transcrições das entrevistas, visitas à sede da revista, pesquisas em edições novas e antigas de IMPRENSA, produção dos textos, orientação da universidade, revisão e finalização. O livro foi concluído em novembro do mesmo ano.

Antes da escolha do tema, vocês já acompanhavam a cobertura feita por IMPRENSA? Se sim, desde quando?
Desde que entramos na faculdade, no ano de 2004, nós já acompanhávamos a IMPRENSA juntas. Inclusive, fizemos outros trabalhos sobre a revista durante os quatro anos de graduação, em que abordávamos vários temas relacionados, como, por exemplo, para a matéria de “Jornalismo Digital”, em que falamos sobre o Portal Imprensa. Além de gostarmos da revista, todas as vezes que visitamos sua sede, nós duas fomos muito bem recebidas, o que aumentou o nosso carinho pela IMPRENSA.

Qual foi a motivação para a escolha do tema?
Na verdade, foi uma junção de vários fatores: além de termos acompanhado a IMPRENSA durante todos os anos de faculdade, também tínhamos muito carinho e admiração pela revista e sua equipe. Para completar, justamente em 2007, no ano de nosso TCC, a revista faria 20 anos, uma data muito especial.
Como até aquele momento tínhamos a informação de que ninguém nunca havia feito um TCC com essa história em forma de livro reportagem, nós encontramos um assunto muito rico para explorar. Então, topamos embarcar nesta aventura. Nosso objetivo foi alcançado porque hoje está servindo de material para conhecimento dos estudantes, admiradores e também para a redação da IMPRENSA, pois, sem esta profunda pesquisa talvez não haveria um conjunto rico de informações reunidas em um único lugar: este registro histórico apresentado em um livro reportagem.

De maneira geral, quais foram as principais considerações/descobertas apontadas pelo TCC?
Durante o tempo de faculdade, nós já pesquisávamos a história da revista IMPRENSA, o livro reportagem foi então a oportunidade para aprofundar isso tudo, como conhecer os bastidores, as histórias de mesa de bar, as curiosidades, os “causos” da profissão, furos de reportagem, as dificuldades enfrentadas no caminho, os acertos, os erros, os momentos marcantes, as histórias das premiações. E o melhor: o trabalho de apuração! Vimos neste veículo que, desde o começo os seus profissionais tiveram um trabalho de pesquisa e checagem das fontes, afinal, a IMPRENSA faz a cobertura da mídia e precisa dar o exemplo. Sendo assim, com o passar do tempo, a revista foi cativando e criando confiança entre os colegas de profissão por ser um veículo idôneo.
Tivemos o privilégio de sentir, nem que fosse um pouco, as emoções vividas por nossos colegas por meio da narração de suas lembranças (detalhe: na época do início da revista ainda éramos bebês), pudemos sentar e conversar durante horas com profissionais que admiramos. Criamos um vínculo muito bom, conseguimos fazer imersão em cada entrevista recebida e apurada.
Portanto, além do resgate histórico, nós tivemos verdadeiras aulas de jornalismo, que foram lecionadas por inúmeros profissionais que declararam suas experiências. Mais uma vez fica o nosso muito obrigada a todos que fizeram parte deste livro.
A partir da pesquisa para o TCC, nós pudemos conhecer melhor o contexto histórico em que a revista nasceu, entender suas transformações e o ofício do jornalismo em geral durante as duas décadas, acompanhar o nascimento da informatização nas redações, oportunidade para estagiários, Troféu Mulher IMPRENSA, além de conhecer os pontos de vista de diversos profissionais sobre a revista e sobre o fazer jornalístico. Ela não aborda somente os jornalistas estrelas, mas também os comuns e a vivacidade das pautas. A seção FOCAS foi uma boa oportunidade para aproximar o estudante fazendo com que ele exponha seus textos, papel este fundamental para a carreira.
Também aprendemos uma grande lição ao acompanhar a IMPRENSA: a revista, assim como qualquer outro meio de comunicação, empresa ou pessoa, cresce com os acertos e os erros, só assim nos tornamos melhores e escrevemos a nossa história. Para reforçar esta ideia, no próprio editorial da edição comemorativa da revista IMPRENSA de 20 anos, são lembrados os versos do poeta espanhol Antonio Machado que dizem: “[...] Caminhante, são teus rastos / o caminho, e nada mais; / caminhante, não há caminho, / faz-se o caminho a andar”.
Agora, 9 anos depois, nos sentimos orgulhosas em saber que fomos lembradas e procuradas para participar da edição comemorativa e felizes em sermos as pioneiras neste assunto.

Leia também: