Coleguinhas: Jornalista Gis Carneiro transforma a paixão por bolos em profissão

Redação Portal IMPRENSA | 15/08/2016 11:00
Trabalhar na TV é o sonho da maioria dos jornalistas. Para Gis Carneiro, as coisas aconteceram naturalmente, quando ainda na faculdade foi selecionada para estagiar na TV Verdes Mares, afiliada da Globo no Ceará.
Crédito:arquivo pessoal

Passando por todos os setores da emissora, foi preparada para ser repórter nacional, chegando a produziu três edições do “Globo Repórter. Em nove anos, fez de tudo um pouco. “Me realizei”.

O que ela não contava é que a chegada de um filho mudaria suas prioridades. Aquela chama que faz um repórter correr atrás da notícia iria enfraquecer, para acender a paixão por bolos.

“Quando meu filho nasceu percebi que tinha o dom de fazer bolos. Comecei a produzir para as festas de “mesversário”. Os bolos ficaram conhecidos e pediam para eu vender”, relembra.

Dividindo-se entre pautas e o fogão, Gis precisou fazer uma escolha. “Dei um tempo nos bolos e me dediquei exclusivamente à TV, mas me incomodava ter largado um sonho”.

Passados três anos, ela percebeu que não dava mais para deixar de lado o fogão e despediu-se da carreira de repórter. Bastou pouco tempo para perceber que tinha tomado a decisão certa. “Dois dias depois já estava lotada de encomendas”, conta.

Feliz com a nova etapa profissional, Gis diz que não tem intenções de voltar ao jornalismo. O que ela quer mesmo é se jogar na produção de bolos. Embora passe 17 horas na cozinha fazendo cerca de 15 bolos por dia – quantidade que almeja triplicar –, a jornalista garante que financeiramente vai tudo bem. “Não gosto de citar números, mas estou muito feliz”, conclui.


Leia também
- Coleguinhas: As aventuras gastronômicas do jornalista Rodrigo Saraiva
Coleguinhas: O empreendimento sustentável da jornalista Monique Klein
- Coleguinhas: Lívia Moraes divide o tempo entre reportagens e o amor pela costura