Após 40 ações de juízes, "Gazeta do Povo" ganha Prêmio ANJ de Liberdade de Imprensa

Redação Portal IMPRENSA | 15/06/2016 11:00


A Associação Nacional de Jornais (ANJ) anunciou na última terça-feira (14/6) que premiará o jornal Gazeta do Povo, de Curitiba (PR), e cinco de seus jornalistas com o Prêmio ANJ de Liberdade de Imprensa de 2016. A entrega será em agosto.

Crédito:Divulgação/Aniele Nascimento
Guilherme Storck, Chico Marés, Euclides Lucas Garcia e Rogerio Galindo e Evandro Balmant

Em fevereiro deste ano, o veículo publicou reportagens sobre “supersalários”, repercutindo o debate entorno do teto constitucional na remuneração de funcionários públicos. Depois da divulgação dos dados, juízes e promotores, ofendidos pelos textos, abriram, até o momento, 40 ações individuais contra os profissionais do diário.

Os processos foram abertos em diferentes juizados especiais, espalhados por pelo menos 15 cidades do Paraná, fazendo com que os jornalistas sejam obrigados a comparecer a cada audiência. Os pedidos de indenizações somam R$ 1,3 milhão.

A ANJ afirmou que os profissionais são vítimas de "assédio judicial". "A escolha [dos premiados] representa o apoio ao jornalismo de qualidade e à coragem da Gazeta do Povo ao abordar os privilégios injustificáveis autoconcedidos pelos magistrados e membros do ministério público paranaense", ponderou.  

Repúdio 

Também na última terça-feira (14/6), o Colégio de Presidentes dos Institutos dos Advogados do Brasil divulgou nota de repúdio sobre as ações contra a Gazeta do Povo. O texto, assinado por José Horácio Rezende, Presidente do Colégio, condena ainda toda forma de censura, direta ou indireta, à liberdade de expressão da imprensa.

"É indiscutível a salvaguarda constitucional de que não será excluída da apreciação do Poder Judiciário a lesão ou ameaça ao direito. Contudo, é inadmissível qualquer ação, judicial ou extrajudicial, concebida como um pacto de atuação dos membros do Poder Judiciário em seu próprio benefício, ferindo de morte o princípio da moralidade pública, especialmente nesta grave quadra da história em que a sociedade brasileira clama pelo resgate do espírito público", acrescentou.

Leia também