"Estadão" se recusa a divulgar texto de Wagner Moura sobre extinção do MinC

Redação Portal IMPRENSA | 17/05/2016 10:30
O ator e jornalista Wagner Moura enviou uma resposta-texto para repórteres dos jornais O Estado de S. Paulo e Zero Hora,que queriam a opinião dele sobre a extinção do Ministério da Cultura (MinC). 

A posição de Moura, que sempre demonstrou abertamente ser contra o processo de impeachment de Dilma Rousseff, foi publicada pelo diário gaúcho na última segunda-feira (16/5). O Estadão, porém, se recusou a divulgar o texto do artista.

Crédito:Divulgação
Ator denunciou o jornal por não publicar sua opinião

"A extinção do MinC é só a primeira demonstração de obscurantismo e ignorância dada por esse Governo ilegítimo. O pior ainda está por vir. Vem aí a pacoteira de desmonte de leis trabalhistas", escreveu o ator. 

Com 31 anos de existência, o ministério foi extinto na última quinta-feira (12/5) após a posse do presidente em exercício Michel Temer. Agora, caberá à cultura uma secretaria dentro do Ministério da Educação, que voltará a se chamar MEC. 

Procurado por IMPRENSA, o jornal disse que não se pronunciará sobre esse assunto.

Leia também