Jornalistas brasileiros estão entre os mais pessimistas da América Latina, diz pesquisa

Redação Portal IMPRENSA | 12/02/2016 16:15
Uma pesquisa realizada pelo instituto de pesquisa Ipsos comprova que os jornalistas no Brasil estão pessimistas em relação à evolução da economia do país nos próximos 12 meses. 

De acordo com o levantamento, 35% dos profissionais acreditam que, em um ano, a situação econômica brasileira estará pior que a atual. Somente um quinto dos profissionais de imprensa acreditam que a economia melhorará em um ano, enquanto 43% disseram que a situação continuará igual no período.

Crédito:Reprodução
Cerca de 35% dos jornalistas brasileiros acreditam que a situação vai pior na economia

Na América Latina, o resultado só é melhor que o da Venezuela, onde 72% dos jornalistas creem que economia deteriorará nos próximos meses. 

Os repórteres mais otimistas da região são os argentinos. Cerca de 49% disseram que a situação econômica do seu país deve melhorar, frente aos 29% que afirmaram que o cenário ficará igual enquanto e os outros 19% que tendem a ver que o quadro terá uma piora. 

Cuba é o segundo país com jornalistas mais otimistas. 36% dos profissionais acreditam que a economia estará melhor nos próximos meses. De acordo com a pesquisa Ipsos, 43% dos profissionais de imprensa cubamos acreditam que a economia continuará igual nos próximos 12 meses, enquanto 17% veem deterioração. 

Análise da região

O mesmo estudo ainda questionou os jornalistas latino-americanos sobre a percepção que têm acerca da economia de países da região. A economia brasileira é classificada por 100% dos repórteres como ruim, sendo a pior avaliação da região.

sobre o futuro da economia brasileira, 58% dos comunicadores acreditam que em um ano a situação estará pior, 42% que esperam melhora.