Jornalista diz que "Veja" foi pressionada a demiti-la por seus comentários sobre Lula

Redação Portal IMPRENSA | 02/12/2015 12:30
Em um vídeo publicado no YouTube dias após sua saída de Veja, a jornalista Joice Hasselmann revelou que a revista começou a receber "pressão" por seus comentários na TVeja, especialmente após afirmar que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua sucessora, Dilma Rousseff, "roubaram a esperança" do país.

Crédito:Reprodução/Facebook
Jornalista culpa pressão sobre a revista por sua demissão

A ex-apresentadora diz no vídeo publicado pelo "Canal da Direita" que houve um incômodo por ela também ter dito que Lula era um "câncer". "Isso incomodou tanto que os telefonemas começaram a ser cada vez maiores, com mais pressão", explicou.

Joice afirmou ainda ter ouvido de diretores de "altíssimo clero" que "empresários começaram a ligar". Ele teria pedido para que ela ponderasse seus comentários ao citar o vídeo no qual disse que Lula era um câncer. A jornalista questionou o diretor. "Tem que extirpar, arrancar, como se fosse um câncer mesmo e fazer quimioterapia no Brasil para salvar essa nação brasileira".

Segundo a jornalista, o vídeo "doeu demais" e foi, inclusive, retirado do ar, mas acabou viralizando na internet. Ela também citou outras gravações do quadro "Salto Agulha", em que citava o presidente nacional do PT, Rui Falcão, e o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel Pimentel, que contribuíram para que seu contrato fosse rompido.

"Numa sexta-feira à noite recebi a notícia de que meu contrato seria rompido imediatamente. Eu já sabia, na verdade. Um dos diretores havia me avisado que a pressão estava grande. Eu só não acreditava que chegasse nesse ponto e sabia também porque eu tenho fontes em Brasília. Todos os dias eu trazia na minha coluna um furo, uma informação nova", relatou.

A demissão da jornalista ocorreu meses após ela receber uma acusação do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná de plagiar 65 reportagens de outros veículos de comunicação em seu blog. A entidade disse que analisou os textos e que comprovou a cópia de conteúdo. À época, Joice alegou, sem dar detalhes, que trabalhava em um novo projeto.
 
Assista ao vídeo:

 
Leia também