TV Cultura demite mais de 50 funcionários; SJSP repudia descumprimento de acordo

Redação Portal IMPRENSA | 16/07/2015 09:00
A crise na Rádio e TV Cultura ganhou maiores proporções na última quarta-feira (15/7). Ao menos 53 funcionários foram demitidos, entre eles dois jornalistas. Os cortes podem continuar nesta quinta (16/7).

Crédito:Reprodução
Emissora pública vive crise e demite 53 funcionários

Segundo a Folha de S.Paulo, os empregados relataram que na rescisão não havia garantia do pagamento de multa do fundo de garantia nem aviso prévio. Com a ausência do direito, muitos deles não assinaram a demissão.

A diretora de Recursos Humanos, o gerente de comunicação, e produtores e editores dos programas "Viola Minha Viola" e "Provocações" estão entre os demitidos. Na próxima sexta(17/7) haverá assembleia para os radialistas decidirem se entram em greve mais uma vez.

Depois da paralisação de atividades no fim do mês passado, um acordo previa que não ocorreriam demissões em um prazo de 30 dias. Neste ano, o governo estadual reduziu o orçamento repassado à fundação Padre Anchieta, mantenedora do canal, o que gerou uma queda na receita publicitária no primeiro semestre.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) acompanha a situação dos funcionários e destacou que a diretoria da RTV Cultura descumpriu o acordo fechado na Justiça. A entidade repudiou os cortes e manifestou apoio aos trabalhadores. Também enviou um ofício para pedir a confirmação do número oficial de jornalistas demitidos.

Segundo o SJSP, sobre o reajuste de 2014, a justificativa da empresa é que o Conselho de Defesa dos Capitais do Estado (Codec), órgão da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, vetou os pagamentos sob a alegação de que o governo estadual está com problemas financeiros e queda de arrecadação.

Leia também