Ex-repórter do "CQC", Ronald Rios acusa Band de "tentativa de censura"

Redação Portal IMPRENSA | 20/02/2015 16:15
Ronald Rios, ex-repórter do "CQC", da Band, usou seu canal no YouTube para acusar a emissora de "tentativa de censura". O humorista afirma ter recebido uma notificação da empresa pedindo que ele tire do ar um vídeo em que comenta sua saída do programa na temporada 2015.

Crédito:Reprodução
Ronald Rios afirma que a Band tentou censurar seus comentários sobre saída do "CQC"

No vídeo publicado em 19 de janeiro, Rios fala sobre os três anos em que passou pelo "CQC", como chegou ao programa e sobre a forma como interpretou sua saída. Ele destaca as matérias que fez na Faixa de Gaza, durante o conflito entre a Palestina e Israel, como o "ponto alto" do programa no ano de 2014. Porém, ele critica o fato de que, na retrospectiva exibida pela Band com os melhores momentos da atração no ano, a reportagem não foi mostrada.

"Eles podem, sim, falar: 'a gente não gosta da matéria, tem coisa melhor esse ano'. Embora, na época da matéria, eles tenham me levado em vários canais e várias rádios do Grupo Bandeirantes para dar entrevista. [...] Para quem não gostou da matéria, exploraram bastante", diz Rios no vídeo.

Rios afirma ter sido procurado por outras emissoras de TV e até pela própria Band após sua saída do "CQC" para fazer parte do núcleo de jornalismo do canal. Porém, ele diz não ter interesse em trabalhar "com os argentinos que estão lá".

Já na última sexta-feira (13/2), Ronald publicou um novo vídeo com a suposta notificação. "Está dizendo aqui que eu 'teci comentários injuriosos a respeito dos diretores argentinos da Band', e que eu tento denegrir a imagem da Band e do programa 'QCQ' difamando-os", diz o humorista, acrescentando ainda que a emissora pede a retirada do vídeo para evitar "a adoção de outras medidas cabíveis".

Segundo o blog de Maurício Stycer, no UOL, Rios disse que não vai retirar o vídeo do ar e que entrou em contato com seu advogado sobre o assunto. "Meu advogado disse que estou usando o meu direito de liberdade de expressão", afirmou.

Procurada por IMPRENSA, a Band alegou que não comentará o assunto.

Assista aos vídeos:




Leia também