Terapeuta sexual afirma que ainda há dificuldade social em aceitar o tema AIDS

Gabriela Ferigato | 01/12/2014 13:15
Durante a 2ª edição do Fórum AIDS e o Brasil, promovido por IMPRENSA na última quinta-feira (27/11), a terapeuta sexual e educadora Ana Canosa e a jornalista especializada na cobertura de saúde Fabiana Leite falaram sobre a responsabilidade dos meios de comunicação contribuírem para o debate sobre a pauta AIDS no país.
Crédito:Gabriela Ferigato
Ana Canosa (dire) e Fabiana Leite falaram sobre a responsabilidade dos meios de comunicação de contribuírem para o debate sobre a pauta AIDS
Para Ana, que coordena um curso de pós-graduação voltado para a educação sexual no Centro Universitário Salesiano (UNISAL), a sociedade, de forma geral, ainda tem dificuldade em falar sobre sexo e a mídia acaba repetindo o problema.

“Acho que isso acontece pela própria dificuldade social em aceitar a AIDS e mais ainda em aceitar o tema da sexualidade de modo geral - comportamento sexual das pessoas, de jovens, a diversidade. As pessoas têm muita dificuldade em falar sobre tudo isso”, diz.

De acordo com Ana, é necessário ter cautela ao tratar do tema, mas a mídia deveria produzir mais, e de maneira sistemática, sobre diversos assuntos que envolvem a doença e ampliar a visão além dos grupos mais vulneráveis. 

“É importante humanizar o tema. Trazer personagens, documentários... de diversas formas falar sobre isso”, afirma. De acordo com a terapeuta, atualmente a medicação preventiva para grupos específicos é a notícia do momento. 

 Leia também
- “Está mais do que na hora de quebrar tabus”, diz infectologista sobre a AIDS
Ministério da Saúde trabalha com três eixos de prioridade em relação à AIDS
Debate sobre a responsabilidade de cada um na luta contra o HIV encerra Fórum AIDS