Band domina cotidiano de quem assiste TV no transporte público de SP

Maurício Kanno | 02/09/2013 14:30

Desde 2006 no metrô e 2012 nos ônibus, tornou-se rotina de quem pega metrô e ônibus em São Paulo, mesmo sem aparelhos portáteis, assistir a um tipo de TV diferente: sem som. O que muita gente não sabe é que o conteúdo dos dois meios de transporte é produzido pela mesma equipe — com 16 pessoas — e empresa: a Band Outernet, do Grupo Bandeirantes.

Crédito:Divulgação
Passageira do metrô observa tela da TV Minuto
Passageira do metrô de São Paulo observa tela da TV Minuto

Para transmitir todo esse conteúdo é tela que não acaba mais: 5.200 delas, em 109 trens, para a TV Minuto, nas linhas vermelha, azul e verde do metrô, atingindo mais de 5,5 milhões de pessoas mensalmente, segundo estimativa Ipsos Marplan. E são outros 2.600 monitores para a TVO, nos ônibus paulistanos, com estimativa de impacto de 6 milhões de pessoas mensalmente. 

E não acaba aí. Essa empresa, a maior deste tipo de mídia “out of home” (“fora de casa”), produz também conteúdo para a TV Orla, nas praias do Rio de Janeiro; para o metrô do Rio de Janeiro, Porto Alegre e Brasília; e para ônibus no Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre. São ao todo mais de 31 mil telas em 26 cidades, com 13 milhões de pessoas atingidas mensalmente. Em março de 2014, ainda, a Band Outernet vai passar a operar também em aeroportos. 

Mudo

Quanto à falta de áudio nessas TVs, segundo a diretora de conteúdo da empresa, Catarina Casanova, edital do próprio Metrô exigiu essa ausência; assim como portaria de 2011 da Secretaria Municipal de Transportes, para o caso dos ônibus.

“O desafio é diário. É preciso unir informação visual com um texto direto e conciso”, conta ela. “Além disso, trabalhar em proximidade com a equipe de arte para que o conjunto tenha uma leitura clara e as hierarquias da informação sejam respeitadas.” 

Catarina também diz que, entre os 30 “programetes” em cada meio, os de notícias, esporte, serviços, concurso cultural e entretenimento são os assuntos que mais geram interesse do público. É um retorno medido via contatos por e-mail, respostas dos concursos e redes sociais. A programação é renovada diariamente, mas as notícias são atualizadas em tempo real, com uma média de 80 mudanças diárias.

Crédito:Divulgação
Passageiros de ônibus com tela da TVO em São Paulo
Passageiros de ônibus com tela de transmissão da TVO em São Paulo
Tripé para dois

A diretora relata que o tripé é o mesmo para ônibus e metrô: notícias, serviços e entretenimento. A abordagem final acaba sendo diferente, mas com a mesma raiz. Por exemplo, na TVO, dos ônibus, há um programa com “curiosidades, fatos inusitados e engraçados que acontecem pelo mundo”; na TV Minuto, do metrô, exibem “os vídeos mais engraçados na web”.

Já no tema saúde, a TVO apresenta o “É Época de”, que faz uma seleção de frutas, verduras e legumes que estão na melhor época e dicas de receitas rápidas e nutritivas; na TV Minuto, há um outro programa similar sobre práticas saudáveis, exercícios e alimentos funcionais.

Jornalistas e profissionais de criação selecionam, editam, montam e enviam o conteúdo para a central de operações. Na central, o material é checado e dividido em grades de programação. Em seguida, é enviado a um servidor, que o distribui aos diversos locais de transmissão. 

“Temos consciência de que a audiência não pode mudar de canal, por isso, elaboramos uma programação que contemple um público variado e que, acima de tudo, leve informação relevante para a população e que a aproxime de forma positiva da cidade por onde circula”, resume a diretora da Banda Outernet.

Havia até uma equipe só para atender a um quadro com histórias engraçadas enviadas pelo público, o “Você na TV”, com redatores, figurinistas e editores, com gravações a produzir. O programa, com visual mesclado entre fotos, desenhos e balões como de quadrinhos, não está mais na programação, mas pode ser conferido no site da TV Minuto. 

Leia também
“A Liga” atinge segunda melhor audiência da temporada com volta de Rafinha Bastos
ESPN Brasil lança site Bike é Legal para incentivar mobilidade no país
Cerveja austríaca troca rótulo de bebida por bilhete de transporte público